[ editar artigo]

Como os brasileiros lidam com o dinheiro

Como os brasileiros lidam com o dinheiro

Uma pesquisa realizada pela Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) revelou que , seis em cada dez (58%) brasileiros admitem que nunca, ou somente às vezes, dedicam tempo a atividades de controle da vida financeira, e 17% dos consumidores, sempre ou frequentemente, precisam usar cartão de crédito, cheque especial ou até mesmo pedir dinheiro emprestado para conseguir pagar as contas do mês. O percentual aumenta para 24% entre os mais jovens. Há, também, aqueles que precisam recorrer ao crédito para complementar a renda.

Ainda usando a pesquisa da OCDE, dá para reconhecer que apenas 30% dos brasileiros são considerados poupadores, ou seja, que tem alguma reserva financeira guardada.

"Esses temas nem são discutidos em família. Não há um projeto de vida em conjunto que poderia ajudar no equilíbrio financeiro. Tudo isso leva à inadimplência e explica uma parte dessa pesquisa” disse Reinaldo Domingos (doutor em Educação Financeira)

Se o brasileiro ganhasse mais, será que resolveria?

 O professor Mauro Calil comentou a pesquisa e para ele se o brasileiro ganhasse mais não resolveria a situação porque uma das razões para o baixo desempenho é ver a gestão das finanças como algo passivo.

“As pessoas acreditam que a solução para os problemas financeiros está em ganhar mais dinheiro. Mas não é a quantidade de dinheiro que resolve, e sim as atitudes atreladas a esses recursos”.

Para mudar o quadro, além de investir na educação financeira infantil nas escolas, a solução apresentada por Calil é tornar o tema mais atraente para os adultos.

“Mesmo quem tem acesso a uma consultoria financeira personalizada nem sempre segue a orientação. É o mesmo que ir ao médico e não tomar o remédio. No Brasil, temos um problema cultural forte, de consumo, em que os bens são muito valorizados”.

A caderneta da poupança é o principal investimento financeiro

Segundo pesquisa do SPC e do Serasa, mostrou que os brasileiros continuam investindo na poupança como forma de guardar ou rentabilizar o dinheiro.

O brasileiro não sabe guardar dinheiro, apesar de saber que isso é importante

Por fim, a terceira pesquisa indicada é a da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais), que mostra que cerca de 85% dos brasileiros têm consciência da importância de guardar dinheiro, mas  50% não fazem isso.

“Falta disciplina para o brasileiro quando o assunto é dinheiro. O comportamento da maioria das pessoas é consumir imediatamente. Poupar significa se privar de algo, mesmo que no curto prazo”, diz Aquiles Mosca, da Anbima.

“O brasileiro sabe o que deve fazer, mas ainda tem dificuldade de abandonar velhos hábitos de consumo”, afirma.

“Se as pessoas não se privarem hoje, vão sofrer as consequências no futuro. Atualmente, a maior parte dos aposentados no Brasil depende financeiramente dos seus filhos ou teve que baixar o padrão de vida para continuar se mantendo”, orienta.

Para Ana Leoni, também da Anbima, ter uma reserva de emergência não é um bicho de sete cabeças. “É uma questão de planejamento e prioridade, independente da renda”.

“O que pode ajudar nesse processo é associar disciplina e necessidade de poupar a algo tangível e prazeroso. Sempre pensamos em reserva financeira para emergências. Mas aconselho a pensar em se preparar para as oportunidades”.

E você se enquadra nessa pesquisa, ou já tem consciência que o equilíbrio financeiro é o melhor caminho? 

Fonte de pesquisa: Trovó Academy, Época Negócios.

Finanças e Tributos

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você