[ editar artigo]

Indicadores de Capital de Giro

Indicadores de Capital de Giro

Toda empresa precisa de capital de giro para sobreviver, quando esse falta é necessário procurar recursos de terceiros para honrar com os compromissos.

Quando a empresa já está com problema de dinheiro, devido a urgência o empresário pode acabar optando por fontes financeiras mais “caras” e ter que pagar um valor em cima desse capital, que é o chamado juro.

No entanto, se analisar constantemente seu negócio pode perceber que a empresa está entrando em uma linha perigosa e já começar a tomar decisões para reverter a situação antes de chegar em estado crítico.

Os indicadores relacionados a capital de giro são os que auxiliaram diretamente nesse quesito, mas outros ajudaram na análise global, os mais usados dessa categoria são: capital circulante líquido, necessidade de capital de giro, saldo em tesouraria.

Capital circulante líquido é a diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante. Onde no primeiro grupo estão as contas relacionadas a bens e direitos começando pelo caixa indo até os estoques, com as atividades da empresa ativos são convertidos em espécie e servem para quitar dívidas e gerar lucro, a exemplo disso temos as duplicatas a receber que são as dívidas dos clientes com nossa empresa referente as vendas a prazo, essas não devem representar uma fatia grande do ativo circulante, visto que quanto mais se demora para receber dos clientes mais dinheiro de terceiros se precisa para resolver as dívidas de curto prazo.

O outro grupo são os recursos de terceiros que financiam a empresa por um período, são as contas a pagar da empresa, essas vão desde o fornecedor que representa as compras a prazo até imposto a pagar. Sendo assim, esse indicador precisa ser positivo e quanto maior melhor.   

No indicador necessidade de capital de giro são considerados apenas ativos e passivos operacionais, contas relacionadas a atividade principal da empresa. Os passivos representam as origens de recursos e os ativos as aplicações.

Sendo assim, no ativo operacional serão consideradas as duplicatas a receber, estoques e no passivo operacional os fornecedores, salários a pagar, impostos a pagar. Então quanto mais alto der esse indicador mais a empresa precisará de dinheiro extra para quitar suas dívidas, isso porque tem mais aplicações de recursos do que origem operacional. Para exemplificar, a empresa pode estar vendendo muito a prazo e tendo pouco prazo para pagamento das mercadorias adquiridas, no post “ciclo operacional, financeiro e econômico” foi abordado esse tema, mas a abordagem foi em dias, dá uma conferida.

Saldo em tesouraria seria a diferença entre capital circulante líquido e a necessidade de capital de giro, ou seja, é a segurança da empresa em termos monetários.

Exemplo: Uma empresa possui ativo circulante = 58.000,00 estando divido da seguinte forma: caixa/banco = 18.000,00 duplicatas a receber/estoques = 40.000,00 e de passivo circulante = 42.000,00 sendo fornecedores/salários a pagar = 25.000,00 empréstimos = 17.000,00.

CCL = ativo circulante – passivo circulante

CCL = 58.000,00 – 42.000,00 => 16.000,00

NCG = ativo operacional – passivo operacional

NCG = 40.000,00 – 25.000,00 => 15.000,00

ST = CCL – NCG

ST= 16.000,00 – 15.000,00 => 1.000,00

Analisando o resultado essa empresa não está bem de capital de giro, pois ela tem apenas 1.000,00 de folga, isso se deve ao fato de ter muito dinheiro investido em estoque ou em crédito para clientes. Algumas medidas para melhorar a situação seria reduzir prazo para clientes, pedir mais prazo para fornecedores, tentar vender produtos que estão muito tempo no estoque.             

Curta esse post e conte para nos comentários nós o que achou 💙

Se você ainda não faz parte da Comunidade de Finanças, não perca tempo e vem participar com a gente!

Finanças e Tributos

Ler conteúdo completo
Indicados para você