[ editar artigo]

Indicadores de endividamento!

Indicadores de endividamento!

Quando se fala em endividamento dá até um frio na barriga não é mesmo, mas é importante ter bem claro quanto a empresa tem de dívida e como é esse endividamento.

Todo o dinheiro que entra na empresa é proveniente de alguma fonte, pode ser de capital próprio ou capital de terceiros. O capital próprio vem dos sócios e também dos lucros da própria atividade e o capital de terceiros seriam os recursos que financiam a empresa de alguma forma quer seja por meio de fornecedores (ligados a parte operacional da empresa) quer seja por meio de empréstimos e financiamentos (ligado a parte de estruturação e administrativa) além de outras fontes.   

Os indicadores de estrutura de capital avaliam quanto a empresa utiliza de capital de terceiros, em uma visão mais geral não é muito interessante essa participação ser muito elevada. No entanto, a empresa pode estar investindo em máquinas, por exemplo, para aumentar a capacidade produtiva e para isso pode ter utilizado financiamento, mas essa ação no futuro pode aumentar vendas e lucros consideravelmente. Por isso que um indicador nunca pode ser avaliado isoladamente para não gerar informação distorcida.

Os indicadores de endividamento são:

Participação de capital de terceiros - demonstra quanto do capital de terceiros é utilizado para manutenção e continuidade da empresa, ou seja, é o grau de endividamento, dependência de fontes externas a empresa. O ideal é esse índice ser inferior a 0,6, porque capital de terceiros normalmente incide juros ou encargos. Se por exemplo, o índice deu 0,8 significa que 80% dos recursos utilizados na empresa veio de capital de terceiros dependendo quais são os “investidores” a empresa pode estar próxima da insolvência, no entanto se esse capital de terceiros tem encargos menores que o capital próprio não teria problema algum esse percentual elevado.

Composição do endividamento – representa em percentuais quanto das dívidas totais estão concentradas no curto prazo (12 meses), isto é, os vencimentos dessas obrigações ocorrem em um período inferior a um ano. Quanto maior esse índice maior a pressão para gerar caixa. Se por exemplo esse índice for de 30% a empresa tem um prazo maior para quitar o principal montante de dívidas, ou seja 70% das obrigações vencerão após 12 meses tendo assim mais fôlego para  honrar com os compromissos.

Imobilização do patrimônio líquido – esse indicador representa quanto do capital próprio está concentrado em imobilizados (máquinas e equipamentos, móveis e utensílios, veiculo, edificações). Quanto maior for esse indicador menos sobra de capital próprio para financiar o ativo circulante e consequentemente precisara mais de capital de terceiros para isso, ficando mais endividada. Para exemplificar, considere que o indicador deu 0,9 significa que 90% dos recursos próprios estão investidos em bens e apenas 10% estão disponíveis para o ativo circulante.

 Como dito em textos anteriores indicador sozinho não gera informação é preciso uma análise de vários indicadores, de relatórios gerenciais e da capacidade do gestor de avaliar o cenário interno e externo da empresa entendo todas as variáveis para só assim tomar decisão.

E aí, gostou da publicação?

Me conta o que achou nos comentários e continue nos acompanhando 😉

Se você ainda não faz parte da Comunidade de Finanças, não perca tempo e vem participar com a gente!

 

Finanças e Tributos

Ler conteúdo completo
Indicados para você