[ editar artigo]

PRONAMPE e outros empréstimo vale a pena?

PRONAMPE e outros empréstimo vale a pena?

 

Recentemente o governo vem anunciando diversas medidas para permitir o acesso digitais a produtos e serviços financeiros para Microempreendedores Individuais - MEI, Micro e Pequenas Empresas. São diversas oportunidades, disponibilizada nos canais oficiais, como por  exemplo: portal do empreendedor

São diversas linhas de crédito e vale a pena analisar qual o objetivo e público de cada linha, afim de compreender se a sua empresa atende aos critérios. Mais o assunto do momento é o PRONAMPE- Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte que em resumo as principais características são:

Parece até uma pegadinha, afinal de contas o empreendedor tem uma percepção negativa das instituições financeiras, pois somente disponibilizam créditos para um determinado perfil, exigindo uma série de documentos e a juros altíssimo. Mas a grande questão é:

Vale a pena buscar um empréstimo em meio a uma crise financeira ou no tempo que estamos vivendo?

A resposta é simples, qual a finalidade do seu empréstimo, se a resposta for "NÃO SEI", não vale a pena.

Toda a busca por linha de crédito deve ter um único objetivo, permitir que o seu ganho seja superior a sua despesa com o custo efetivo em si do empréstimo.

A linha de crédito disponível a maior parte dos brasileiros que dispõe de uma conta bancária é o cheque especial, no qual você deveria usar em momentos de emergência, porém em muitos casos, é usada para matar a fome ou o desejo de vestir aquela roupa nova. Perceba que se controla-se a sua ansiedade economizaria no mínimo uns 20% do valor da sua compra, pois nesse empréstimo teria o IOF, custos administrativos e o juros, ou seja, tem o famoso Custo Efetivo Total (CET) que é a diferença entre o que recebeu do banco e o que pagou ao banco.

Mas as condições do PRONAMPE são realmente tentadoras, que mesmo que o empresário, coloque esse dinheiro em investimento conservador como a poupança ou CDB, ainda teria lucro, afinal taxa cobrada igual à 1,25% +  Selic, que atualmente está patamar mais baixo da história, 3% ao ano. Com uma taxa de apenas 4,25% ao ano ou o equivalente de 0,35% ao mês.

Mas não é somente esse o custo da aquisição do crédito, existe outros por menores que aumenta o Custo Efetivo Total (CET), como por exemplo o: Tarifa de Abertura de Crédito (TAC), eventual manutenção de conta e outras despesas que será somado a essa conta, por isso fique muito atento, se será uma necessidade para concretizar a operação ou uma venda casada de produtos financeiros que ajudará o gerente do banco atingir as metas dele, nesse caso argumente firmemente sobre o artigo 39, inciso I do código de defesa do consumidor (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994): :

Art. 39. É vedado ao fornecedor de produtos ou serviços, dentre outras práticas abusivas: I - condicionar o fornecimento de produto ou de serviço ao fornecimento de outro produto ou serviço, bem como, sem justa causa, a limites quantitativos;

Por dentro do Custo Efetivo Total - Meu Bolso em Dia

Em bons tempos de selic baixa é animador, mas o empresário deve ater-se a variação da SELIC, afinal no ano de 2016 atingiu o valor de 14,25%, porém dês de então está em queda frequente.

Por isso o cálculo que todo empreendedor deve realizar é: Qual a rentabilidade que esse empréstimo financeiro te proporcionará?

Seja adquirindo um estoque, quitando eventuais dívidas, adquirindo um bem durável, mantendo esse dinheiro em caixa ou até mesmo investindo em uma reforma ou expansão

Indiferente do que seja o seu objetivo, é importante um planejamento financeiro e avaliar os ganhos de cada opção, pois tenho certeza que você tem diversas necessidades e em um momento delicado como o que estamos passando, é necessário bom senso e tomada de decisão assertiva, para não errar, não é mesmo?.

Por isso o cálculo deve ser quanto rentabilizará esse empréstimo, por exemplo: se for para adquirir um novo veículo, quanto essa aquisição gerará de renda para a sua empresa:

No final o seu CNPJ, ficará mais rico ou mais pobre?

Em todo o investimento que faço, eu sempre realizo o seguinte cálculo, Rentabilidade = (Lucro Líquido/Investimento) * 100

Esse cálculo faz parte do meu dia a dia, como popularmente muitos dizem é uma conta de padaria, a rentabilidade: É o percentual do rendimento gerado a partir de um investimento; quando você opta por poupar o seu dinheiro, você escolhe pelos meios disponível (poupança, CDB, tesouro direto e outros....) e o fator que define aonde você guardará o seu dinheiro é pelo meio que gera mais rendimento, não é mesmo?

Quer saber mais sobre a regra do PRONAMPE, CLIQUE AQUI: para ser direcionada a página oficial, gostou das observações, deixe a sua dúvida ou comentário abaixo.

Finanças e Tributos

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você