[ editar artigo]

Score de crédito: como ele afeta sua vida financeira?

Score de crédito: como ele afeta sua vida financeira?

Confira alguns cuidados para garantir uma pontuação alta

 

(Crédito: iStock)

Entender todas as ferramentas que cercam a vida financeira, além de termos e processos que interferem diretamente nela por exemplo, o questionamento de como aumentar o score é essencial para quem quer manter um bom controle sobre o seu próprio dinheiro, evitando o pagamento de taxas desnecessárias ou não aproveitando ao máximo todos os benefícios – estes são pontos que, inclusive, são pouco discutidos no dia a dia e podem afetar diretamente a liberdade financeira. 

O score de crédito é uma dessas informações importantes, mas que acaba passando despercebida para a maioria das pessoas e que tem uma grande influência nas possibilidades relacionadas à vida financeira. O termo faz referência a uma pontuação atribuída a cada consumidor, que vai de 0 a 1.000 e pode variar ao longo do tempo.

Esse número é usado por bancos e instituições financeiras no geral, para entender melhor, os hábitos financeiros de cada pessoa, e é verificado quando há um pedido de aumento do limite do cartão de crédito ou financiamento por exemplo. A pontuação é dividida em três grupos e serve como um índice para prever a reação do cliente. De 0 a 300 pontos, há um alto risco de inadimplência. Entre 301 a 700 pontos, o risco de inadimplência é considerado mediano. Acima de 700, o risco de inadimplência é baixo, o que indica um consumidor que não costuma atrasar pagamentos.

Entre os fatores que podem afetar o score está o pagamento de contas e dívidas, compras feitas no cartão de crédito e empréstimos variados. Apesar de a pontuação não ser o ponto que vai definir a aprovação ou não de um pedido de crédito, o score é um dos critérios considerados.

Como aumentar o score?

Após entender a importância do número e como ele pode influenciar a vida financeira, é importante pensar em estratégias para aumentar o score, caso a pontuação esteja muito baixa, perto ou já no nível categorizado como “risco alto de inadimplência”.

Caso o score esteja muito baixo, vale checar se o CPF está limpo, já que o nome sujo pode ser um dos fatores para prejudicar a pontuação. Caso esse seja um dos motivos, é preciso limpar o nome, criando um planejamento que permita a quitação de dívidas o quanto antes, evitando que a situação se prolongue. 

Com todas as dívidas solucionadas, é hora de organizar as finanças e começar a pagar faturas e contas dentro da data de vencimento. Infelizmente, o score não sobe tão facilmente, sendo necessário que o pagamento seja realizado em dia durante um tempo constante, exigindo que o hábito siga por meses. Por isso, a tarefa não é tão simples, uma vez que irá exigir estratégias a longo prazo.

Esse pode ser um bom momento para quem deseja ter o controle da sua vida financeira, enquanto abre caminho para maiores opções de benefícios.

Finanças e Tributos

Comunidade Sebrae
Flávia Viana
Flávia Viana Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você