[ editar artigo]

Falar sobre inovação se tornou algo comum. Mas afinal, como medir seus resultados?

Falar sobre inovação se tornou algo comum. Mas afinal, como medir seus resultados?

Como a maioria das pessoas sabem, a inovação precisa gerar resultados! Certo? Mas aí surge uma dúvida: como mesurar esses resultados?

A inovação é um processo contínuo, na grande maioria das vezes difícil de ser mensurado, principalmente no que se refere a inovações pequenas ou melhor, incrementais.

Um outro grande problema está no fato de que os gastos relacionados a inovação geralmente não são informados a contabilidade, ou seja, não constam na DRE (Demonstração do Resultado do Exercício). Gastos com pesquisa e desenvolvimento devem ser lançados para controle, bem como devem ter um percentual do faturamento destinado a isso.

Muitos gestores entendem que esses gastos relacionados a inovação são despesas, porém devem ser vistos como investimento, afinal irão render retornos financeiros potenciais a curto, médio ou longo prazo. E o retorno financeiro é uma das formas de avaliar os resultados obtidos através das ações de P&D (Planejamento e Desenvolvimento). Para ficar mais claro: número de projetos de inovação bem sucedidos x valor médio de vendas nos primeiros 12 meses.

Outras formas de avaliar os resultados podem ser com base no desenvolvimento de projetos, analisando situações como: atraso no cronograma e o orçamento (se está dentro do valor orçado ou se estourou). Mas a inovação vai muito além das paredes da empresa e ganha ares ainda mais impactantes quando atinge outros stakeholders.

Entre esses impactos é possível destacar:

  • Aumento na divulgação de vagas de emprego;
  • Capacidade de atender uma necessidade crítica das pessoas de baixa renda que residem no entorno da empresa;
  • Escalabilidade – capacidade que o produto ou serviço tem de atingir milhares de pessoas;
  • Elevadas barreiras de entrada.

Todos os indicadores devem transmitir informações importantes de como está o desempenho da organização em relação a inovação. Se o desempenho foi avaliado como positivo, os gestores devem incentivar cada vez mais a melhoria contínua. Já se o desempenho está abaixo do esperado, é preciso analisar as inconsistências do projeto e redefinir a rota.

Agir de forma planejada é fundamental, evita surpresas e riscos em relação a inovação e aproxima a empresa do sucesso tão desejado. Lembre-se: inovação precisa gerar resultados.

A inovação é o que distingue um líder de um seguidor. (Steve Jobs)

Ambientes de Inovação

Comunidade Sebrae
Diogo Macenhan
Diogo Macenhan Seguir

Administrador, pós-graduado em Gestão de Pessoas com Coaching, consultor de negócios, especialista em MEG - Modelo de Excelência em Gestão, planejamento estratégico, inovação e metodologias ágeis. Palestrante e professor apaixonado.

Ler conteúdo completo
Indicados para você