[ editar artigo]

Cloud Computing: implementação acelerada pela pandemia

Cloud Computing: implementação acelerada pela pandemia
Você não pode mudar seu passado, mas pode fazer do seu futuro algo melhor. Amanda Rodrigues

Dizer que o mundo não será mais o mesmo no pós-pandemia já virou até clichê. Mas é impossível começar este texto sem essa frase, principalmente quando o assunto em questão são as oportunidades que a pandemia trouxe para as empresas de tecnologia provedores de cloud computing.

Se as empresas já planejavam migrar suas aplicações e sistemas para os servidores em nuvem, mas mesmo assim tinha desculpas para não fazê-lo, agora a pandemia mudou tudo para sempre, acelerou a esmagadora maioria dos planos e tornou um caminho sem volta.

Essa não é apenas uma visão pessoal e profissional. Diversas pesquisas têm apontado para o mesmo fenômeno, de que o futuro da nuvem está mais do que definido. 

Quando a pandemia causou lockdown em várias cidades e países pelo mundo afora, forçando as pessoas a ficarem em casa e a trabalharem remotamente, as empresas tiveram de correr para se adaptar a um novo sistema de trabalho, que parece veio para ficar.

Essa tendência não é só tecnológica, mas também cultural. Não por acaso, fornecedoras dessas soluções, como a Amazon Web Services (AWS), Google Cloud e Microsoft Azure viram um aumento de demanda sem precedentes durante os primeiros meses da pandemia. Segundo verificou pesquisa do Synergy Research Group, houve um aumento de 37% no investimento em cloud nos primeiros quatro meses de 2020. 

Em uma outra pesquisa, feita com 200 líderes de TI pelo IDC (https://www.cio.com/article/3611419/cios-say-public-cloud-migration-is-essential-for-survival.html), 27,5% confirmaram que a migração em larga escala para o cloud foi essencial para a sobrevivência dos negócios. Mas como nem tudo são flores, a pandemia também causou uma desaceleração dos planos de digitalização em 17% das empresas, o que me parece um contrassenso, uma vez que não existem mais negócios que não sejam dependentes de tecnologia digital.

O fato é que, nessa mesma pesquisa, 66% admitiram que aceleraram a implementação da nuvem por causa da pandemia

Como resultado, 85% dessa liderança admitiram que essa mudança colocou a empresa em melhor posição para lidar com disrupções futuras, por proporcionar uma redução de custos, aumentar a eficiência e também facilitar a colaboração entre diferentes funções, possibilitar respostas mais rápidas e criar uma cadeia de suprimentos mais resiliente.

Para quem não sabe, o instituto de pesquisas Gartner previu para 2021 um crescimento mundial de 18.4% no investimento em serviços de cloud, girando o equivalente a US$ 304.9 bilhões. Ainda segundo o Gartner, as aplicações de serviços de infraestrutura (PaaS) é o segmento de mercado que mais vai crescer neste ano, a uma escala de 26.6%. 

O motivo por trás dessa demanda é a necessidade de que colaboradores remotos possam acessar serviços de alta performance, ter acesso a conteúdos ricos e estruturas escaláveis para desenvolver melhor suas tarefas. 

Portanto, é seguro dizer que cada vez mais empresas de vários setores e vários tamanhos irão migrar seus serviços de computação do OnPremise para OnDemand, ou seja, para cloud computing se quiserem continuar operando em uma nova economia digitalizada, remota e acelerada.


Artigo originalmente publicado no linkedin.

Para ter acesso a este e outros conteúdos PARTICIPE (clique em participar) da Comunidade Ambientes de Inovação.

Ambientes de Inovação

Comunidade Sebrae
Robson Del Fiol
Robson Del Fiol Seguir

Digital Marketing, Innovation, Startups Ecosystem, Advisory Board.

Ler conteúdo completo
Indicados para você