[ editar artigo]

Design Thinking - Como estruturar suas ideias

Design Thinking - Como estruturar suas ideias

Já falamos sobre a estratégia do Oceano Azul, de encontrar novos mercados ou transformar um mercado já existente para que sua empresa consiga ser única e prosperar. Porém como desenhar todo esse processo de ideação?

Vamos apresentar a você o método chamado Design Thinking, que organiza o processo de desenvolvimento e o potencializa, fazendo com que empresas encontrem gargalos e resolvam a pressão competitiva aumentando suas chances de sucesso. Este método pode ser considerado um norte para resolver problemas complexos, com base nas pessoas, para entender e encontrar formas de atender melhor um cliente potencial.

Assista ao vídeo 🎬👇🏼

O Design Thinking se estrutura em três pilares com a missão de integrar as pessoas envolvidas no processo, com perfis e pensamentos distintos, com a meta de criar soluções inovadoras e revolucionárias. São eles:

  • Empatia: para a criação de soluções inovadoras, é preciso nos colocarmos no lugar do outro ser humano, ou seja, deixar os nossos próprios pré-julgamentos de lado para de fato compreender as pessoas.

  • Colaboração: a criação de um conhecimento criativo não pode ser feita por uma pessoa só, é muito importante a colaboração ou a cocriação entre profissionais multidisciplinares, gerando interpretações e impressões diferentes.

  • Experimentação: colocar em prática toda a observação, ideação e criatividade das etapas anteriores. Experimenta-se para ver se tem chance de dar certo e visa errar o mais cedo possível, com isso aprimorar a ideia ou começar de novo, diminuindo riscos e otimizando recursos.

O objetivo principal de todo esse método é determinar e entender o perfil do consumidor e questionar o que já está sendo feito, buscando sempre melhores respostas a partir da análise e identificação dos desejos e problemas do consumidor.

 

Quais as vantagens do Design Thinking para a minha empresa?

Quando pensamos nos pilares deste método, já podemos constatar que é necessária a interação de vários colaboradores para o sucesso. A troca de informações, liberdade de expressar suas ideias, construção de alternativas, tudo isso auxilia na cultura de um ambiente organizacional melhor, com mais empatia, colaboração e experimentação por parte de todos os envolvidos.

Quando o atendimento é focado no cliente, os profissionais possuem capacidade de melhor atendê-los, pois realmente entendem as dores daquele cliente e buscam solucioná-las, gerando maior satisfação e fidelização destes.

Engajamento e adaptabilidade são reforçados com as estratégias de Design Thinking. Uma que por permitir que os colaboradores dêem opiniões e que estas possam ser testadas, motiva todos a contribuírem com a empresa e sintam-se parte dela. A adaptabilidade é posta em prática aqui, pois o que está sendo proposto por este método são mudanças, a busca pelo inédito, inovador.

A partir dele, os profissionais passam a desenvolver habilidades e competências valiosas, principalmente observadas a longo prazo, visando qualificação de profissionais para o futuro.

Assista ao vídeo 🎬👇🏼

Como aplicar o Design Thinking na minha empresa?

Primeiro passo é estabelecer um objetivo claro onde a estratégia irá se debruçar. Depois é necessário colaboradores complementares para que haja uma pluralidade na interpretação das informações e nas sugestões de soluções. 

Para que fique organizado todo o processo, deverá ser estabelecida uma liderança que preze por este ambiente colaborativo, aberta a sugestões, tolerante e que incentive os erros, pois neste processo, o quanto antes forem identificados os erros, mais rápido eles poderão ser corrigidos.

Para concluir o objetivo e conquistar todos os benefícios, existem alguns processos que devem ser seguidos:

  • Imersão: aprofundamento sobre o problema e o perfil do cliente em potencial. Aqui envolve pesquisas, observações, enquetes, com o objetivo de encontrar uma solução diferenciada que gere aceitação.

  • Ideação: é a transformação das informações colhidas em insights para possíveis soluções do problema identificado.

  • Prototipação: é a fase de validação, onde a ideia é materializada de forma simplificada mas o mais real possível, o chamado MVP (Minimum Viable Product) para encontrar pontos de melhoria, nível de aceitação e interesse. 

  • Teste: é o momento de colocar em prática. Aqui o importante é ficar atento a interações, buscando qualquer sinal de satisfação ou insatisfação e adaptar ao projeto se necessário.

  • Interação: receber o feedback e aceitá-lo. Nem sempre é fácil, porém necessário. Com isso entender todas as informações colhidas, ver o que será acatado e o que não será e aprimorar na entrega da solução.

A estratégia de Design Thinking é muito versátil e, por isso, pode contribuir em todas as realidades dos pequenos negócios. Não pense que somente grandes empresas utilizam esta estratégia, muitos pequenos e médios empresários vêm utilizando este método para a transformação de seus negócios.

Inovação também é para você!

📚🤓 Quer saber mais? Clique aqui e acompanhe 4 vídeos incríveis nesta temática! 

Um abraço,
Weliton Perdomo.

Ambientes de Inovação

Comunidade Sebrae
Weliton Perdomo
Weliton Perdomo Seguir

Coordenador Estadual de Inovação do SEBRAE/PR, mestre em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você