[ editar artigo]

Indicadores de Inovação: a importância de mensurar o desempenho da inovação

Indicadores de Inovação: a importância de mensurar o desempenho da inovação

A inovação sempre fez parte da humanidade, pois o homem sempre utilizou suas habilidades inatas para ajudar a satisfazer suas necessidades. Inovar, embora seja vista como um desafio do mundo corporativo moderno, é, basicamente, implantar uma ideia com sucesso, com foco no desempenho econômico e na criação de valor.  

Independentemente da fase em que as empresas se encontrem, seja com objetivo de crescimento ou a sobrevivência, a inovação deve ser considerada primordial, não devendo ser tratada como um modismo, mas com a mesma importância que se dá à qualidade do produto ou ao atendimento dos clientes.

Medir o seu desempenho da Inovação é uma das vertentes de gestão mais importantes para as organizações. Para mensurar quanto do sucesso de uma empresa deriva da inovação, existem indicadores que, além de possibilitar uma avaliação, são ferramentas de diagnóstico para a previsão de capacidade futura de inovar.

Entretanto, apesar de sua importância, a utilização de indicadores de inovação ainda é pouco disseminada entre as empresas, pois medidas como aumento de vendas ou lucro ainda são consideradas suficientes para a maioria dos gestores.

Há muitas formas de mensurar a inovação de uma empresa. A literatura, geralmente os divide em dois grupos principais: (a) indicadores de esforço inovador; (b) indicadores de resultado da inovação.

Os indicadores de esforço inovador referem-se aos esforços que as empresas realizam em pesquisa e desenvolvimento (PD&I), já os indicadores de resultado referem-se à avaliação do impacto da inovação nas empresas.

Algumas instituições brasileiras vêm se aprofundando na temática de indicadores de inovação nas organizações. A pioneira na geração de indicadores de inovação tecnológica empresarial no Brasil foi a Associação Nacional de Pesquisa, Desenvolvimento e Engenharia das Empresas Inovadoras (ANPEI), no período de 1992 a 2000, mas caiu em desuso pela sua baixa abrangência de empresas respondentes no país. O questionário aplicado pela ANPEI é uma ferramenta bastante extensa e complexa, além de verificar a situação da inovação tecnológica apenas como um simples levantamento de dados, sem classificá-las dentro de níveis.

A partir de 1998, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) passou a realizar, trienalmente, a Pesquisa Nacional de Inovação Tecnológica (PINTEC), com o objetivo de apurar o processo de inovação tecnológica nas empresas industriais.

Não há uma unanimidade quanto aos indicadores de inovação fundamentais, por isso, cada empresa deve adotar aqueles que convergem com seu planejamento. Os mais citados na literatura são: indicadores de entrada, indicadores de saída, formas de inovação, fontes de inovação e impacto da inovação. Vejamos brevemente a seguir. 


Indicadores de entrada referem-se revelam como as empresas direcionam investimentos às atividades de P&D.  qual o percentual de faturamento, de recursos humanos e da área física é destinada às atividades de P&D. 

Indicadores de saída de inovação referem-se ao número de patentes depositadas e registradas, projetos inovadores, percentual de faturamento fruto de lançamento de novos produtos  e de royalties de vendas de tecnologias para terceiros, por exemplo. Além disso, considera o número de novos processos introduzidos ou modificados  e economias de custo como resultado de melhorias de processos produtivos.

Indicadores de formas de inovação são aqueles que visam identificar a inovação radical ou incremental, qual o percentual de resultados proveio de aperfeiçoamentos e adaptações de produtos já existentes ou de tecnologia radicalmente nova.

Indicadores de fontes de inovação refere-em a origem das inovações nas empresas, se de atividades de Pesquisa e Desenvolvimento, de parcerias e cooperações com universidades e/ou institutos de pesquisa, de parcerias com colaboradores e clientes, de parceria com outras empresas, de serviços de consultoria, da aquisição de licenças, patentes e know-how, da aquisição de máquinas e equipamentos inovadores. 

Indicadores de impactos da inovação são os mais relevantes e referem-se à quantidade de produtos ofertados ao mercado, ao aumento de participação no mercado, melhorias significativas na qualidade dos produtos como consequências das inovações e aumento da capacidade produtiva.


Adotar estratégias de inovação sem mensurar seus resultados pode ser incoerente. Como já dizia o consultor William Diming (1950):  “Não se gerencia o que não se mede, não se mede o que não se define, não se define o que não se entende, e não há sucesso no que não se gerencia”.

Tão importante quanto investir em inovação é ter bem definido o seu conceito e adotar indicadores para acompanhar seus resultados.

 

 

 

Ambientes de Inovação

Comunidade Sebrae
Edione Magalhães Motta
Edione Magalhães Motta Seguir

Consultora empresarial com MBA em Gestão Estratégica de Negócios. Mestre em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para a Inovação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você