[ editar artigo]

Você sabe qual é o grande diferencial atual do Vale do Silício?

Você sabe qual é o grande diferencial atual do Vale do Silício?

A região do Vale do Silício se destacou no cenário mundial com a criação de diversas empresas de tecnologias conhecidas de todos. Mas disto vem a dúvida comum a muitos, O Vale do Silício é feito apenas de tecnologia? 

Um dos grandes legados conhecidos do Vale do Silício (VS) são as empresas de tecnologia e de inovação. Como um grande ecossistema criado em meados da década de 50, a região dispõe de um relativa fartura de capital aliada a uma grande capacidade de produção intelectual.

Com a participação de instituições de ensino inovadoras que desenvolvem pessoas diferenciadas para ocuparem cargos chaves nas mais variadas corporações, a Universidade da Califórnia em Berkeley e a Universidade de Stanford - as mais conhecidas -  diversos outras instituições contribuem para o sucesso da região.

Como principal temática do mundo se startups, a conexão entre empreendedores é ums dos principais motores da região. Num modelo atual de gestão e conexão, as empresas da nova economia nascem para cooperar entre si e muitas vezes de fundirem em uma nova empresa com objetivos comuns e mais complexas. Desta forma a insreção das mesmas em ambientes comuns traz um série de benefícios e sinergias. 

Em minha última passagem pelo VS, acompanhando um grupo do SEBRAEPR, SICOOB, ACIC e demais atores da região OESTE do PR, visitamos diversas estruturas de incubação, aceleração e investimentos, bem como universidades e projetos autônomos de fomento de inovação, de forma a trazer para a região um série de insights para acionamento empresarial na região. 

Assim como Vale do Silício americano, podemos verificar a região de BOSTON como outra macro região de inovação, onde o MIT e HARVARD são os protagonistas. Não podemos deixar de mencionar a metodologia desenvolvida pelo Prof Bill Aullet, no MIT, dos 24 passos para o empreendedorismo que é utilizada mundialmente.  

E no BRASIL, temos o nosso Vale do Silício. 

Para se ter um ambiente como o do Vale do Silício, é preciso muito mais do que somente investimento em tecnologia. Um ambiente de inovação e empreendedorismo também depende de um conjunto de elementos que englobam uma interação entre poder público, universidades, empresas, fomento público e privado e principalmente investidores, além da atração e engajamento de profissionais.

Mas o Brasil tem a representatividade de inovação com a união dos diversos pontos de inovação regionais. 

Fora da cidade de SP que abriga o maior número de operações de startup e diversos parques tecnológicos, aceleradoras e incubadoras, podemos elencar algumas regiões e cidades que vem se destacando no quesito ecossistema regional. 

A cidade de Campinas

Campinas, no estado de São Paulo, possui um ambiente totalmente favorável para se considerar como uma cidade do Vale do Silício brasileiro. Primeiramente conta com muitos institutos de pesquisa, parques tecnológicos e incubadoras que dão o engajamento necessário no ambiente de inovação e empreendedorismo. Além disso, conta com mais de 30 das 100 maiores empresas de tecnologia instaladas na região, com a presença de mais de 12 centros de pesquisa e desenvolvimento.

Curitiba e o Vale do Pinhão

A cidade de Curitiba está cobiçando o título de Vale do Silício brasileiro com o surgimento de várias empresas e startups de destaque no mercado brasileiro de tecnologia. Com isso, a prefeitura tirou do papel o projeto Vale do Pinhão, que reúne algumas instituições de ensino, investidores e grandes empresas para transformar a cidade numa referência em inovação.

Curitiba e o Vale do Pinhão se destacam no país pelo grande número de indústrias, empresas que apostam em inovação e possuem um perfil arrojado além de grandes grupos educacionais de excelência e impacto. Com um perfil de mão de obra mais qualificado e que está sendo mais exigida em função da instabilidade do país, cresce a demanda pelo aumento de eficiência o que impulsiona ainda mais os negócios inovadores.

Belo Horizonte e o San Pedro Valley

Inicialmente chamado de BH Valley e agora conhecido como o San Pedro Valley, o bairro de São Pedro localizado na zona sul de Belo Horizonte é conhecido pelo seu clima residencial mesmo diante de uma agitada vida noturna. Desde 2011 a região abriga centenas de jovens de diversos talentos diferentes e que são loucos por inovação, tecnologia e pelo universo digital, transformando o San Pedro Valley em um verdadeiro Vale do Silício brasileiro.

Ganhando ainda mais visibilidade após receber um escritório do Google, o San Pedro Valley reúne atualmente mais de 300 startups que promovem um ambiente e uma cultura de cooperação, colaboração e convergência de conhecimentos. Esta troca de ideias, experiência e conhecimento permite que a inovação flua melhor por toda a região.

Santa Rita do Sapucaí e a indústria eletrônica

Santa Rita do Sapucaí já é conhecida pela sua indústria eletrônica no Brasil e a sua história teve início em 1959 quando criou o primeiro instituto de ensino técnico de eletrônica na América Latina. Hoje a região abriga mais de 150 empresas que promove uma cultura de empreendedorismo e incentiva desde cedo nas escolas, projetos de inovação e tecnologia. O faturamento chegou em R$3,2 bilhões em 2017, produzindo mais de 15 mil produtos como as urnas eletrônicas, tornozeleiras eletrônicas e rastreadores.

Florianópolis 

O estado de Santa Catarina corresponde a 3% da população brasileira, mas conta com 20% das startups do país – e Florianópolis é o centro de desenvolvimento dessa região. Mantendo um ambiente de inovação e tecnologia e criando mais um Vale do Silício brasileiro, Florianópolis conta com os aspectos necessários como apoio de universidades, fundos de investimento e escritórios de contabilidade e advocacia.

Com o apelido de Ilha do Silício, a cidade também aposta na divulgação e na importação de profissionais qualificados que buscam mais qualidade de vida e apostam em oportunidades num ambiente de inovação.

Porto Alegre e o TECNOPUC

Mais uma capital no sul do país, Porto Alegre está ganhando destaque na indústria tecnológica do país principalmente com TECNOPUC, o Parque Científico e Tecnológico da PUCRS. A instituição lançou recentemente uma nova iniciativa, o Startup Garagem que tem como objetivo principal auxiliar os empresários a transformar boas ideias de jovens em negócios de sucesso.

O parque tecnológico conta com 70% de empresas de pequeno e médio porte além de gigantes como Dell, HP e Microsoft com iniciativas em diversas áreas como biotecnologia, comunicações, eletroeletrônica e TI. Alguns dados interessantes sobre a região é que geram mais de 6000 empregos por meio de 120 empresas.

Porto Digital em Recife

Porto Digital transformou Recife em um polo de inovação e tecnologia para o país, mostrando que o Nordeste também tem potencial para se tornar mais um Vale do Silício brasileiro. Com empresas e startups na área de games, multimídia, animação, música, design e tecnologia da informação, 88% das empresas da região são de pequeno e médio porte empregando mais de 7000 funcionários e com mais de 250 empresas.

Parque Tecnológico de São José dos Campos

Outro polo tecnológico muito importante no Brasil fica em São José dos Campos, lá encontramos um verdadeiro parque tecnológico que se reinventa de forma inovadora todos os dias, em atividade desde 2009, conta com aproximadamente 300 empresas, instituições de pesquisa e ensino. O parque Tecnológico de São José dos Campos já recebeu mais de R$ 1,9 bilhão em investimentos e tem como um dos grandes destaques a realização de atividades com as três maiores empresas de aviões, a Airbus, Boeing e a Embraer.

Boa parte do destaque deste Parque Tecnológico, deve-se ao fato do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA) possuir alguns centros acadêmicos de excelência na região, além de São José dos Campos possuir também, uma localização geográfica favorável.

O fato é que o modelo americano dificilmente será replicado em sua integra, mas o seu legado esta auxiliando diversos empreendedores do mundo a seguirem em frente em seus projetos inovadores. Verificamos hoje a maior interesse e participação do poder público uma vez que os novos modelos de negócios tender a impactar de a desafiar as maior industrias mundiais (citando a Disrupção de Clayton Christensen). 

 


Para conteúdos sensacionais como esses PARTICIPE da Comunidade Ambientes de Inovação.

Ambientes de Inovação

Comunidade Sebrae
Jorge Biff Netto
Jorge Biff Netto Seguir

Professor PUCPR e Consultor de inovação, varejo, serviços, indústria e internacionalização ; um aquariano direto e claro, com grande interesse em inovação, empreendedorismo e PME’s; inquieto por natureza e com o objetivo de mudar e ser mudado.

Ler conteúdo completo
Indicados para você