[ editar artigo]

3 motivos para ter um Parque Tecnológico no seu ecossistema

3 motivos para ter um Parque Tecnológico no seu ecossistema

Esse texto é continuidade de um artigo completo que já publicamos por aqui.

Um dos grandes exemplos de cidades que se beneficiam da tecnologia e dos parques tecnológicos é Florianópolis. Apontada por alguns como o Vale do Silício brasileiro, atrai anualmente cada vez mais jovens empreendedores, investimentos e empresas que encontram na ilha o local perfeito para o desenvolvimento das suas soluções. Mas por que esse investimento é tão interessante para as cidades?

1) Emprego e renda

A geração de empregos é a primeira consequência visível da criação de parques tecnológicos. Essa reportagem publicada pela Exame descreve a tarefa de encontrar um novo funcionário como “tática de guerrilha”. Isso porque eles realmente levam a sério o recrutamento de jovens para trabalhar nas empresas. Mais do que isso, sabem que, para que eles se tornem realmente capacitados para estar ali, precisarão treiná-los, já que se trata de algo totalmente novo e, se não fizerem, ninguém mais fará. Essa necessidade atrai jovens, movimenta universidades a se atualizarem e gera um ciclo sadio de desenvolvimento, muito benéfico para qualquer cidade.

2) Investimentos

Empresas que estão organizadas em um parque tecnológico tendem a ficar mais visadas e aumentam as chances de receberem aportes internacionais e grandes investimentos que podem movimentar ainda mais a economia da cidade, gerando renda na forma de impostos. Outra vantagem interessante é que parques tecnológicos em geral também abrigam incubadoras. Por estarem perto de grandes empresas, elas também aumentam suas chances de ser incorporadas ou receber aportes financeiros.

3) Desenvolvimento intelectual

Uma das premissas dos parques tecnológicos é ter por perto as universidades. Isso é interessante tanto para as empresas – que têm acesso à inovação no seu estágio primordial e também podem ter contato com jovens promissores – quanto para as universidades, que podem receber incentivos para dar continuidade a projetos iniciados pelos alunos e firmar parcerias para que o ensino e a pesquisa não fiquem apenas no campo teórico e passem para a prática.

Para a cidade, a principal vantagem é a atração e posterior retenção de jovens talentosos e promissores. Em alguns locais onde há boas universidades mas sem mercado, acontece a ótima formação intelectual e posterior mudança para outros estados e até países.

O estudo para a implantação de um parque tecnológico é complexo e consiste, principalmente, em pesquisas e observar o potencial das empresas existentes, recrutar ideias inovadoras e entender o potencial e a vocação tecnológica do ecossistema. Isso é necessário porque não existe um modelo pronto. Cada cidade possui, naturalmente, relações que foram construídas e vocações que são inatas de determinadas regiões. Não respeitá-las e aproveitá-las iria, no mínimo, atrasar o sucesso do projeto.

Por isso, se você pretende criar um ambiente inovador na sua cidade, procure saber quais são os caminhos mais seguros e percorridos por outros locais que estão dando certo. Esse, sem dúvida, é o caminho para construir ambientes que serão a base do conhecimento local no futuro.

 

Caso tenha interesse em saber mais, entre em contato conosco.

Para conhecer mais sobre como os Parques Tecnológicos induzem o ambiente de inovação e também as 6 Etapas para a consolidação de Parques mantenha conectado e PARTICIPE da Comunidade Ambientes de Inovação.

 

Weliton Perdomo LinkeIn Instagram

https://certi.org.br/blog/parques-tecnologicos/

Ambientes de Inovação

Comunidade Sebrae
Weliton Perdomo
Weliton Perdomo Seguir

Coordenador Estadual de Inovação do SEBRAE/PR, mestre em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você