[ editar artigo]

Políticas Públicas e Estratégias Municipais para Inovação - Parte 1

Políticas Públicas e Estratégias Municipais para Inovação - Parte 1

No setor público inovar significa introduzir, “novos elementos em um serviço público, na forma de novos conhecimentos, nova organização e/ou nova habilidade de gestão ou processual”. Integra o setor público tudo aquilo que a coletividade, tida por seu povo, convencionar em determinado tempo ser de interesse comum ou de propriedade comum, ficando todo o restante adstrito à esfera privada.

Como é isso na teoria?

A inovação no campo das políticas públicas está relacionada à renovação das características e artefatos no domínio dessas políticas, tais como objetivos e medidas políticas, instrumentos e recursos, alianças e instituições. Os atores envolvidos nesse cenário devem ser capazes de fornecer uma justificativa sólida de que a inovação é necessária para buscar o bem comum.

O modelo brasileiro de gestão pública considera que as funções do Estado devem ser desempenhadas em todas as suas unidades federativas - municípios, estados, distrito federal e união.

Desta forma, verifica-se ser de extrema importância fomentar práticas inovadoras nas menores unidades federativas, isto é, nos municípios, visto que estes são os locais onde a vida humana acontece efetivamente, é onde as necessidades do cidadão são verificadas de acordo com as particularidades econômicas e sociais locais.

Isso porque o processo de inovação tecnológica apropria-se de algumas peculiaridades conforme a região, o nível das instituições que o envolvem e o próprio sistema de interação entre organismos importantes, como empresas, instituições de ensino, centros de pesquisas, instituições de ciência e tecnologia, incubadoras de empresas, parques tecnológicos, entre outros.

Na prática, como seria inovar no setor público? 

A fim de entender como sucedia o processo de desenvolvimento econômico da capital catarinense, o estudo “Capital da Inovação: a Estratégia de Desenvolvimento de Florianópolis”, publicado por Burgos e Costa no livro “Políticas públicas de fomento ao empreendedorismo e às micro e pequenas empresas”, analisou o comportamento de distintos atores, como  empresas, universidades, agentes públicos, bem como leis e projetos de leis da capital. A entidade pública na esfera municipal responsável pelo incentivo econômico está centralizada na Secretaria de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Sustentável de Florianópolis, órgão que possui claramente a missão de “estimular e promover ações em Ciência, Tecnologia e Inovação por meio do trabalho em rede em prol do desenvolvimento sustentável e bem estar da sociedade florianopolitana”, sendo que condutas e esforços são fortemente conduzidos ao estímulo do setor de tecnologia do município.

Desta maneira, as ações são constituídas a partir de três eixos:

👥 Talentos: cuja finalidade é empenhar-se na preparação e qualificação da mão de obra para o setor;

👾 Tecnologia: por meio de ações que possam incrementar a competitividade local e mundial do setor; 

🌐 Redes: com o intuito de encadear e aproximar atores locais para impulsionar o desenvolvimento.

 


No próximo post vou falar sobre como os municípios têm inovado em diferentes frentes e onde podemos encontrar exemplos claros e replicáveis de inovações municipais! Me siga para ficar por dentro das próximas publicações  😉

Fonte: CAIRES, R. SARTORI, R. CHIMINELLO, T. Políticas públicas e estratégias municipais para inovação. 2019. Foto: Mitul Shah. 


 

 

Ricardo Tomaz Caires                                                                                                                                  Me acompanhe no Intagram e Linkedin

 

Ambientes de Inovação

Comunidade Sebrae
Ricardo Tomaz Caires
Ricardo Tomaz Caires Seguir

Mestre em Propriedade Intelectual e Transf. de Tec. para Inovação. Engº em aprendizagem 🚀

Ler conteúdo completo
Indicados para você