[ editar artigo]

Por que o meu projeto não foi apoiado?

Por que o meu projeto não foi apoiado?

Já participei e encaminhei diversos projetos para avaliação de Fontes de Fomento: FINEP, Fundação Araucária, BNDES, CNPQ, CAPES, MCTIC, e diversos outros fomentadores. Alguns tiveram êxito e outros tantos não.  Aí fica o questionamento, no que nossa equipe errou ?

Na pré-qualificação, sempre por não atendimento aos requisitos formais do instrumento

Erros mais comuns:

•       Envio de documentação incompleta;

•       Envio após a data limite;

•       Falta de via impressa ou assinaturas;

•       Falta CD de backup; Isso mesmo, teve um tempo que você tinha que mandar um CD com os arquivos para o órgão de fomento. (sou desse tempo);

•       Falhas na relação de itens solicitada;

•       Inelegibilidade de membro do consórcio executor;

•       Total falta de aderência aos objetivos da Chamada;

•      Preenchimento incorreto ou incompleto do Formulário;

Na avaliação de mérito por baixo conteúdo inovador, fraco atendimento aos objetivos do instrumento ou ainda insuficiência de recursos disponíveis

Erros mais comuns :

•      Ausência de inovação tecnológica;

•      Falta de clareza quanto aos objetivos e metodologia;

•      Mecanismos de coordenação gerencial mal definidos;

•      Cronograma físico e financeiro inadequados;

•      Ausência de elementos priorizados pelo instrumento (cooperação, compartilhamento, incorporação de resultados, etc.);

•      Distinção entre contrapartida financeira e não-financeira;

 

Por que os projetos deixam de ser apoiados ? Consórcio executor

•      Proponente (depois Convenente) - Responsável pela celebração do convênio e pela execução gerencial e financeira do projeto;

•      Executor e Co-executores - Responsável(is) direto(s) pela execução técnica do projeto;

•      Interveniente(s) - Entidades que não recebem recursos do projeto mas, beneficiárias dos seus resultados, participam assumindo obrigações em nome próprio, podendo participar da execução técnica do projeto e aportar recursos de contrapartida;

 

Por que os projetos deixam de ser apoiados ?  Contrapartida

•      Contrapartida financeira – investimentos feitos diretamente no projeto pelas instituições envolvidas, adquirindo produtos ou serviços de terceiros, comprováveis através de notas fiscais e recibos;

•      Contrapartida não-financeira – recursos materiais e humanos próprios das instituições que são disponibilizados para o projeto, comprováveis através de termos de uso, cessão, transferência, etc;

•      Calcular a contrapartida como percentual  do projeto total, e não como percentual do orçamento FINEP ou outro órgão do governo.

 

Lembre-se:

·      Seja honesto com o financiador. Não tente vender uma idéia que já existente como novidade. Existem formas de buscar informações sobre isso.

·      Indique os produtos e concorrentes que se aproximam da inovação proposta, mas evidenciando as vantagens da Inovação.

·      O financiador não investirá em uma inovação que já existe, portanto, não deixe esta impressão.

 

Recomendações:

·      Equilíbrio entre a abordagem “micro” e “macro” a questão da informação suficiente;

·      Qualificação da equipe executora – adequabilidade ao projeto; o conjunto de saberes demandados pelo projeto pode e deve ser descrito no Resumo da Equipe Executora;

·      Foco nas características da Chamada Pública;

·      Foco na Banca de Avaliação – equilíbrio entre aspectos científicos e mercadológicos, com os efeitos de desenvolvimento social, institucional ou regional.

Uma nova abordagem

·      o problema busca a solução, e não o contrário;

·      Novos “tempos” em uma cultura de projetos;

·      tempo de construção do projeto;

·      o tempo de acreditação do projeto;

·      o tempo de redação do projeto;

·      o tempo de “leitura cega” do projeto (à luz dos critérios de avaliação de mérito);

·      o tempo de ajustes do projeto;

·      Engane Murphy (o da lei), pois ele não aparece para ajudar, pelo contrário.

 

Aprendizado efetivo com Felipe Couto - Senai e Cesar Bellinati – Angelus.


Comunidade Ambientes de Inovação comunidadesebrae.com.br/inovacao

https://www.linkedin.com/pulse/por-que-o-meu-projeto-n%C3%A3o-foi-apoiado-enelvo-s-martinelli/

Ambientes de Inovação

Ler conteúdo completo
Indicados para você