[ editar artigo]

[Conteúdo com vídeo] Neurobiologia das emoções relacionada ao aspecto de liderança

[Conteúdo com vídeo] Neurobiologia das emoções relacionada ao aspecto de liderança

Profissionais de todas as áreas e níveis hierárquicos sabem que as emoções podem influenciar suas carreiras. Quem ocupa cargos de liderança deve gerenciar suas emoções a fim de alcançar bons resultados.

Hoje, as empresas procuram talentos não somente com capacidades intelectuais e técnicas, uma vez que a inteligência emocional se tornou um diferencial na hora de admitir um gestor. Isso se deve ao fato de que os líderes precisam administrar as emoções, tanto suas quanto dos outros.

 

Líderes que são emocionalmente inteligentes enfrentam situações adversas de forma saudável, promovendo um ambiente mais produtivo. Além disso, o gerenciamento das emoções permite que o desempenho da equipe seja melhorado. Por exemplo, quando um líder realmente acredita em um projeto, o entusiasmo é passado aos subordinados - e as chances de a equipe se dedicar a esse projeto são bem maiores.

A liderança

A neurobiologia das emoções explica que a liderança é um aspecto que deve estar relacionado à história de vida do líder. Essa característica surge diante das adversidades.

O conhecimento da neurobiologia das emoções permite aos gestores conhecerem suas limitações e forças. O autoconhecimento ajuda na interpretação das próprias emoções. Você aprende a identificar em você emoções básicas e como elas se manifestam no dia a dia.

No geral, quando nos deparamos com situações que nos causem problemas desafiadores, a primeira vontade que sentimos é de recuar. Contudo, esse não é o melhor caminho.

Todos nós já passamos por situações que nos deixam vulneráveis. Porém, a vulnerabilidade é a grande responsável pelas conexões mais profundas que fazemos. Pois se colocar em posição de exposição emocional faz com que as pessoas se conectem mais facilmente. Pessoas que tentam se mostrar “perfeitas” passam a mensagem de que são inatingíveis.

Para se conectar com as pessoas também é preciso ter empatia, ou seja, ter capacidade de enxergar as diferentes situações pela perspectiva de outras pessoas. Ela permite que as pessoas se conectem significativamente.

Novas rotas neuronais

Como vimos, o autoconhecimento ajuda no desenvolvimento da inteligência emocional. Para os líderes, saber como se comportar diante de diferentes situações é essencial para o gerenciamento.

Controlar as emoções e traçar novas rotas neuronais é uma das vertentes do autoconhecimento. Por exemplo, há pessoas que passam pela mesma situação diversas vezes e, mesmo assim, continuam obtendo os mesmos resultados. Para se ter resultados diferentes, é preciso fazer diferente. Do ponto de vista neural, isso significa aumentar a plasticidade neuronal, traçando novas rotas, ou seja, novas comunicações entre as células.

Essa compreensão e autoconhecimento das nossas dificuldades são fatores que nos dão coragem para enfrentar o dia a dia. Além disso, essas duas características também são essenciais para que as pessoas mantenham a autenticidade e a postura de liderança nas organizações.

Gestão de Pessoas e Liderança

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você