[ editar artigo]

Felicidade e Trabalho: como manter a saúde mental em tempos de Pandemia

Felicidade e Trabalho: como manter a saúde mental em tempos de Pandemia

Estamos marchando para um mundo cada vez mais dinâmico e complexo, onde o processamento de informações será maior e mais veloz, e exigirá atenção e respostas imediatas, numa compulsão para nos mantermos mais conectados, a tudo e a todos. Como resultado, estamos vivemos numa sociedade mais angustiada e dependente de terapia, com pessoas que se sentem incompletas e insatisfeitas, em busca de algo que preencha o vazio de suas vidas.

Estas questões tornaram-se mais latentes com a Pandemia da COVID-19, pois tudo está em transformação, não apenas o que fazemos e a forma como fazemos, mas, também, quem somos e o que desejamos.

Ao questionarmos sobre o que é genuinamente essencial para cada um de nós, começamos a avaliar sobre a quantidade de tempo que temos dedicado ao nosso trabalho, e a qualidade do tempo que temos reservado à nossa família e amigos, ao momento de lazer e à realização de pequenas paixões e, principalmente, a maneira como desenvolvemos nossas competências e cultivamos nossos relacionamentos, pessoais e sociais.

A vida é uma trajetória com início e fim e temos que vivenciar cada etapa deste importante caminho, de forma lúcida e consciente, abandonando a ansiedade de buscar somente o resultado final.

É preciso prestarmos atenção nos detalhes que o processo de conquista exige, pois o verdadeiro sucesso diz respeito à descoberta da satisfação em si mesmo, durante a própria existência, e não somente em obter o saldo material no fim da jornada.

Por isso, precisamos desenvolver nossa inteligência/competência emocional, através do autoconhecimento e da autorresponsabilidade, percebendo-se e conectando-se com o próprio íntimo, em cada situação que ocorre na vida cotidiana, ao mesmo tempo que nos relacionamos de forma positiva e harmônica com as pessoas que nos circundam.

Temos que ter ciência de que somos responsáveis pela forma como moldamos nossas vidas e pela qualidade dos relacionamentos que travamos, conosco e com os outros.

Certamente, somos responsáveis, consciente ou inconscientemente, pelos nossos pensamentos, comportamentos, palavras e cada ação que tomamos (e suas consequências), ou as ações que não tomamos (e, também, pelas suas respectivas consequências).

Ao termos consciência disso, começamos a trabalhar com alegria e satisfação, independentemente do local e das pessoas que estão ao nosso redor. Deixamos para trás as críticas, os julgamentos ou a vitimização e começamos a focar no que é importante: como poderemos nos desenvolver como seres humanos, para nos tornarmos pessoas de sucesso e realizadas.

Gestão de Pessoas e Liderança

Comunidade Sebrae
Gisele Victor Batista
Gisele Victor Batista Seguir

Consultoria em ESG | Mentoria Empresarial e Pessoal | Colunista de Sustentabilidade | Palestrante em Capitalismo Consciente e Mercado de Carbono.

Ler conteúdo completo
Indicados para você