[ editar artigo]

Ser amado ou ser temido?

Ser amado ou ser temido?

Nicolau Maquiavel escreveu “O Príncipe” no início do século XVI, historiadores dizem que o livro foi um manual de liderança dedicado ao Duque de Médici, orientando sobre a melhor forma de unir e governar a Itália que estava separada em condados na época. Um trecho em particular chamou a atenção, quando ele disse que “é preferível ser temido do que amado, mas se temido não deverá ser odiado”. o próprio Maquiavel continua dizendo que caso odiado pode gerar a ira de seus subordinados, o que pode levar esse líder e seus projetos à derrocada, quando o líder é amado ele está mais próximo de ser odiado do que quando temido, pois se amado ele não poderá tomar atitudes que seus liderados julguem como “maldade”.

Dois grandes filósofos Rousseau (século XVIII) e Hobbes (século XVII) são contraditórios ao descreverem o comportamento humano, enquanto o primeiro (Rousseau) diz que o homem é bom por natureza e a sociedade o corrompe, o segundo (Hobbes) diz que o homem é o lobo do homem, ou seja, o homem é mau e egoísta. Um general chinês chamado Sun Tzu disse que o homem deve tratado com justiça, ou seja, o julgamento do líder deve ser justo. Não há como dizer qual vertente de pensamento é a correta, porém é aceitável que vivemos em ambientes heterogêneos, com uma grande diversidade de pessoas, culturas, pensamentos e personalidades.

Se entender a complexidade do comportamento humano, não é difícil imaginar que angústias sobre ser temido ou amado assola muitos líderes contemporâneos. Pessoas em cargos de liderança tem que saber se chegaram lá por mérito ou por alguma outra circunstância, essas pessoas precisam entender que o seu modelo de liderança deve ser moldado e melhorado com o passar dos anos, é obvio que há pessoas com um dom para liderar, porém há outros que não nasceram pronto, portanto precisam aprender. Há uma frase famosa que diz, “não promova o seu melhor operário” é claro que não há preconceitos quanto a esse profissional, a referência diz que nem sempre o melhor funcionário será o melhor líder, pois para liderar é necessário entender, conhecer e inspirar pessoa. 

Dessa forma, ao analisar o que foi dito por Rousseau, Hobbes e Maquiavel, chega-se à conclusão de que a liderança não é uma ciência exata, deve ser construída em acordo com a personalidade do líder, as características do grupo e o ambiente que está inserido. É relevante ressaltar que um bom líder sabe extrair o máximo de sua equipe, consegue manter um ambiente agradável, imperando confiança e respeito.  

Post de Ricardo Botelho Camargo

Gestão de Pessoas e Liderança

TAGS

liderança

Ler conteúdo completo
Indicados para você