[ editar artigo]

[Série] Sua história inspira a minha Cida Santucci - Unopar

[Série] Sua história inspira a minha 
Cida Santucci - Unopar

Desde a juventude, fui uma menina que não aceitava depender de ninguém e, com esse perfil, aos treze anos, comecei a empreender confeccionando flores e bijuterias para vender. Aos quatorze anos, surgiu o primeiro emprego tão desejado por todos os jovens, mas como me casei cedo pedi demissão. Infelizmente, era a visão feminina daquela época. 

Ao perceber que ser dona de casa não era minha vontade, novamente me aventurei a procurar meu lugar no mundo: trabalhei como autônoma no ramo da moda e, em seguida, como funcionária nas empresas Emater, RFFSA, Banco do Brasil e Prefeitura Municipal de Wenceslau Braz. Após tantas experiências em vertentes tão diversas, achei por bem me estabilizar como empresária entre os anos de 1989 e 2000, quando precisei de mais uma pausa devido à necessidade de estudos dos filhos.

Fui com todos para a capital buscando melhor formação para eles e, com tempo disponível, acabei também fazendo um curso superior numa área que eu desconhecia: a pedagogia. Apaixonei-me pela educação e, imediatamente, busquei trabalho na área. Comecei como vendedora de cursos e percebi que haveria grande possibilidade de empreender nessa área. Comprei uma franquia, na época, e voltei para o interior, iniciando as minhas atividades voltadas para a Educação à Distância. 

No início, eram apenas dezoito alunos. Aqui na nossa região a oferta era somente da metodologia presencial e o diferencial que tínhamos veio ao encontro das necessidades do município e arredores, ganhando gradualmente a confiança das pessoas. Alguns dos fatores determinantes para o sucesso do empreendimento foram o preço atrativo e a frequência, pois nessa metodologia o MEC exige uma vez por semana a presença do acadêmico na universidade e as demais aulas são realizadas e assistidas via WEB.  De lá para cá, muita coisa mudou. Atualmente, possuo três unidades de Educação a Distância nas cidades de Wenceslau Braz, Jaguariaíva e Siqueira Campos. De dezoito, passei a totalizar mil e oitocentos alunos.

Um dos valores que mais destaco no meu negócio é a credibilidade na oferta dos serviços (no caso, os meus cursos), tanto é que tenho muita cautela na contratação da equipe a prezar sempre pela qualidade, em respeito aos clientes.

Os desafios e obstáculos foram e continuam a ser muitos, porém a minha opinião é a de que todo empreendimento realizado com foco, amor e dedicação, não tem como dar errado. A assistência e o envolvimento com a clientela tem de começar desde a porta de entrada, pelo recebimento pela zeladora, pelo porteiro ou pela recepcionista até o atendimento telefônico. Um dos maiores problemas atuais é conseguir manter os colaboradores em sintonia com a política administrativa da empresa e a prática que mais gera resultados positivos, em qualquer empreendimento, é a postura ética e o espírito de equipe. É necessário, além disso, utilizar adequadamente a linguagem verbal e corporal, ter empatia, procurar entender os anseios, as angústias e os sonhos de cada pessoa, de cada peça dessa engrenagem que administro.

Procuro me aproximar dos possíveis alunos através de palestras de incentivo profissional, mídias de rádio e televisão, feiras, etc, trazendo para o nosso município e região um maior nível cultural e, consequentemente, uma melhor qualidade de vida. E eu me sinto feliz por saber que meu trabalho transforma não só a minha vida, mas a vida de tantas outras pessoas.

Sei que vivemos em uma era em que a tecnologia muda vertiginosamente, por isso, sempre procuro me aprimorar através de capacitações contínuas, fazendo minha parte para melhor atender àqueles a quem recebo todos os dias na instituição, pois sei que, assim como eu tive e tenho os meus objetivos, essas pessoas também vêm até mim em busca dos sonhos seus. 

Não foi fácil chegar até aqui, mas creio em inspiração divina e, pelo fato de ser mulher, penso que a intuição feminina por ser mais aguçada, consegue perceber a real necessidade de cada cliente. Nunca trato os meus projetos como prontos e acabados. Nesses anos todos, aprendi que o progresso de um empreendimento é vivo e deve estar em constante planejamento, transformação e expansão, por isso, trabalho todos os dias como se minha empresa estivesse iniciando hoje.

A menina que, aos treze, começou a empreender não parou nunca mais.

E, quando preciso de um empurrãozinho é ela que vem me cochichar: “Suas bijuterias viraram joias, menina!”. 

 

Não perca a próxima história, que será tão fantástica como esta da Cida Santucci, que nos enche de inspiração e vontade de continuar.

 

Sandra Trujillo Costa

scosta@pr.sebrae.com.br

www.linkedin.com/in/sandratrujilo

 

O Sebrae está com atendimento 100% digital neste período. Mesmo de casa, vamos orientar você, com relação a sua empresa. Nos acione através dos seguintes canais: 🔵 WhatsApp / Chat / Facebook / E-mail 🔵

Gestão de Pessoas e Liderança

Comunidade Sebrae
Sandra Trujillo Costa
Sandra Trujillo Costa Seguir

Administradora. Formação em Gestão de Negócios-FGV e Empreendedorismo-Universidade Positivo. Especialista em comportamento organizacional pela SBDG. Consultora no SEBRAE/PR e gestora em Liderança.

Ler conteúdo completo
Indicados para você