[ editar artigo]

A computação em nuvem é um boa aliada do varejo?

A computação em nuvem é um boa aliada do varejo?

Houve uma época em que a própria ideia de fazer compras via internet era considerada absurda e mesmo arriscada. Hoje, da mesma forma que ocorre com serviços bancários, as vendas online se tornam mais comuns a cada dia. Neste cenário, em que a internet ganha uma crescente importância, surge a pergunta: vale a pena apostar na computação em nuvem no seu negócio?

Se você se interessou por este artigo, provavelmente já ouviu falar na computação em nuvem (tradução livre do termo em inglês "cloud computing"), mas vale a pena explicar o conceito mesmo assim. Basicamente, é o uso de recursos (memórias, capacidades de armazenamento e operações) de computadores e servidores compartilhados e interligados via internet.

Ao contrário do que acontece em um sistema puramente local, em um sistema em nuvem os dados armazenados podem ser acessados a qualquer hora e de qualquer parte do mundo pelas pessoas autorizadas e que tenham conexão com a internet – o chamado acesso remoto.

Sem fronteiras

A "nuvem", no caso, pode ser considerada uma representação de como as informações ficam armazenadas de maneira mais livre, sem as amarras de máquinas locais. Em uma loja com sistema tradicional, os dados só podem ser acessados por meio dos computadores e servidores que ficam na própria loja. Isso representa não só uma limitação para o gerenciamento, mas também um risco (se algo acontecer com os computadores, os dados podem ser perdidos para sempre).

Dependendo do tamanho e da abrangência do seu negócio, um sistema tradicional pode ser o suficiente. Contudo, se a ideia é aproveitar novas tecnologias e expandir suas operações, a computação em nuvem pode se tornar um recurso indispensável.

No que diz respeito ao varejo, uma das principais vantagens está no compartilhamento de arquivos e dados, que facilita o gerenciamento e a comunicação da equipe. Quem trabalha com filiais e franquias sabe como é útil poder acessar o banco de dados da outra loja na hora de solucionar dúvidas de um cliente, por exemplo.

Além disso, de modo geral o custo de implementação de um sistema em nuvem tende a ser menor do que a de um sistema puramente local, porque boa parte da infraestrutura (bem como o suporte técnico e a manutenção) é terceirizada.

O maior risco está na dependência de uma conexão com a internet. E, como em qualquer sistema, há sempre o risco de invasão e consequente perda/roubo de dados. Contudo, a segurança é sempre uma prioridade para empresas que oferecem soluções "em nuvem", que tendem a investir continuamente no seu aprimoramento.

Seis vantagens

Podemos listar ao menos seis vantagens de se adotar um sistema em nuvem no seu negócio:

  1. Aumento na produtividade (os dados ficam ao alcance da equipe, que pode fazer uso deles facilmente nas atividades de gerenciamento e vendas)

  2. Redução de custos com equipamentos e TI (as próprias empresas fornecedoras tendem a cuidar disso)

  3. Agilidade nos processos de gerenciamento (mesmo fora da loja, o gestor pode acompanhar rapidamente o que está acontecendo)

  4. Maior segurança das informações (as prestadoras de serviços em nuvem possuem mais capacidade de proteção do que pequenas empresas com seus próprios sistemas)

  5. Acesso a mais formas de pagamento (sistemas mais completos oferecem maior variedade para os clientes, indo além do tradicional débito/crédito)

  6. Otimização da comunicação da equipe (um recurso especialmente valioso para empreendimentos que possuem filiais ou franquias)

Em resumo, a computação em nuvem pode ajudar a levar o seu negócio a outro patamar. Mas, como qualquer tecnologia, é preciso pesar os riscos e os benefícios e ver se ela poderá realmente trazer mais resultados – ou se vai apenas trazer uma complexidade desnecessária ao gerenciamento da sua empresa.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você