[ editar artigo]

Como análise preditiva pode ajudar no varejo

Como análise preditiva pode ajudar no varejo

Negócios de todos os setores podem se beneficiar com boas análises preditivas - isso inclui, claro, empresas do varejo. Afinal, com base nessas análises é possível adotar uma postura proativa, se preparando para mudanças de cenário ao invés de apenas reagir quando elas acontecerem.

A análise preditiva, como o nome sugere, é um tipo de análise que permite fazer previsões sobre (perdoem a redundância) eventos futuros, a partir de técnicas de data mining, estudos estatísticos, algoritmos matemáticos, modelagem de dados e até mesmo inteligência artificial. Ela se baseia em padrões encontrados em dados históricos e tendências do modelo de negócio em questão e permite identificar riscos e oportunidades futuras.

Proatividade no varejo

Como essa ferramenta pode ajudar empreendedores varejistas? O primeiro passo é determinar qual o problema a ser resolvido - com isso em mente, é possível descobrir quais dados serão coletados para a análise, e quais padrões devem ser procurados.

Um exemplo é a abertura e o fechamento de lojas, decisões de grande impacto. Seria necessário analisar dados como o histórico de faturamento, o ticket médio, a rentabilidade da loja e descobrir se vale a pena mantê-la ou não, considerando seu potencial para os meses seguintes à análise. Um raciocínio similar se aplica à abertura de novas lojas - existe demanda suficiente em uma região, que poderia ser suprida com mais uma loja?

Outra maneira de aplicar a análise preditiva é na criação de promoções cruzadas: quais produtos podem alavancar as vendas de outros? houve promoções que não deram certo no passado? há sucessos que podem ser repetidos de alguma forma? um aumento no volume investido em propaganda levaria, necessariamente, a um aumento nas vendas?

Além das promoções conjuntas, a própria introdução de novos produtos no catálogo da loja pode ser norteada por análise preditiva. Como é mais provável, por exemplo, que ele interaja com os outros produtos? O novo produto tem um bom potencial de venda? Com previsões bem fundamentadas, é possível evitar “armadilhas” com produtos que têm alto risco de ficar “encalhados”, e focar em produtos que têm chances consideráveis de sucesso.

Um uso mais ambicioso da análise preditiva no varejo é a criação de ofertas altamente específicas e direcionadas, criadas e divulgadas automaticamente para um público-alvo com maior probabilidade de aproveitá-las.

Fator humano

Nem toda tecnologia do mundo pode, a princípio, substituir totalmente as análises feitas por um profissional competente e experiente. O desenvolvimento da inteligência artificial talvez simplifique as análises, mas é pouco provável que possa emular o “feeling” de quem está à frente do negócio e já passou por todo tipo de situação.

Em suma, a análise preditiva é um excelente instrumento, e pode tanto evitar armadilhas como pavimentar o caminho para o sucesso no mercado. Não é, porém, uma “bola de cristal” com previsões infalíveis e certeiras. Prudência e experiência na interpretação dos dados é fundamental para tirar o maior proveito possível da análise.

Você já usou análise preditiva em seu negócio? Ficou com alguma dúvida ou gostaria de saber mais? Diga nos comentários!

Acompanhe a Comunidade Sebrae para estar sempre por dentro dos mais diversos segmentos (varejo, turismo, marketing digital, inovação e outros).

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você