[ editar artigo]

Como escolher o marketplace ideal para o seu negócio?

Como escolher o marketplace ideal para o seu negócio?

A grande variedade de plataformas digitais de venda é muito vantajosa para os varejistas, que não precisam ficar limitados a poucas opções. Surge, porém, o desafio de encontrar, no meio de tantas possibilidades, a que melhor se encaixa em seu negócio. O que levar em conta na hora da seleção? Existem “armadilhas” a evitar? Confira nossas dicas na sequência. 

Quem indica?

Praticamente todos os marketplaces virtuais exibem o número de negócios que atendem, destacando seus clientes mais famosos. Embora não seja uma garantia absoluta de qualidade, esses dados ajudam a ter uma boa noção a respeito da plataforma - especialmente quando atende gigantes do mercado, que têm um nível de exigência especialmente grande.

Outro ponto a se observar é o “tempo de vida” da empresa. Há quantos anos o marketplace em questão está no mercado? Uma plataforma muito recente tende a apresentar mais instabilidades do que uma mais antiga, que já passou (teoricamente) por mais atualizações.

A importância da estabilidade

Correios, preços e estoques, cálculo de frete… é muito comum que um marketplace conte com APIs diversas para abranger todo o processo de venda. Investigue (com base em depoimentos, por exemplo) se o serviço que pretende contratar é estável em relação às ferramentas agregadas.

No próprio site do marketplace vale a pena checar o tipo de suporte oferecido aos usuários. Tem chat? Qual o horário de atendimento? É 24h? Considere o fato de que, na internet, as pessoas podem comprar em qualquer horário do dia, e nesse caso uma ampla cobertura de suporte é essencial para poder resolver (ou, ao menos, responder ao cliente) os problemas com agilidade.

Abrangência de serviço

Complementando o ponto anterior: quão bem a plataforma “dialoga” com serviços complementares (como Correios, ferramentas de gestão financeira, emissão de notas fiscais, transportadoras, marketing)?

É claro que não se trata simplesmente de encontrar o serviço mais amplo, mas daquele que melhor se ajusta às demandas do seu negócio. O processo de “auto-análise” é importante para isso.

Curva de aprendizagem

Algumas plataformas têm entre seus pontos-fortes a simplicidade de uso. Para quem está começando e não conta com uma equipe especializada em TI, ferramentas mais fáceis de aprender são uma boa alternativa - afinal, a implementação tende a ser mais rápida, e a curva de aprendizagem, mais suave.

Se a plataforma oferece um “período de teste” gratuito, melhor ainda, pois você poderá ver se vale a pena assinar o contrato.

Conheça o seu negócio

Para encontrar a melhor solução, é importante que você tenha um bom entendimento da situação atual do seu negócio.

Por exemplo: você já possui uma loja física e está querendo expandir o negócio para os meios digitais? ou está começando justamente como e-commerce? qual volume de vendas mensal você pretende atingir depois de adotar uma plataforma digital? e, se o seu negócio será “misto” (loja física + loja virtual), qual a porcentagem de investimento a ser destinada para cada um?

Fique de olho nos dados

Da mesma forma que acontece com uma loja física, o lojista virtual precisa monitorar uma série de informações a respeito do seu negócio: dados de estoque, códigos de rastreio, prazos de envio, indicadores financeiros, comentários em páginas de produto, informações dos consumidores, estabilidade dos servidores, estoques... 

Se possível, analise o quanto a plataforma que você pretende contratar pode ajudar na coleta e no monitoramento dessas informações.

Em resumo, encontrar um bom marketplace para o seu negócio não é uma tarefa simples, e não se limita a escolher com base simplesmente em preço ou em funcionalidades, mas sim no quão adequado ele é para as necessidades específicas do seu negócio.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você