[ editar artigo]

O gerente de loja e a otimização de vendas no varejo

O gerente de loja e a otimização de vendas no varejo

Ao entrar na loja, o cliente dificilmente tem ideia de todo o trabalho que é feito “nos bastidores” para que a sua experiência de compra seja a melhor possível. Um dos principais responsáveis por orquestrar esse trabalho é o gerente de loja, e se engana quem acha que é fácil exercer tal função.

Neste artigo mostraremos como gerentes de loja podem direcionar seus esforços de maneira mais efetiva para otimizar as vendas. Antes, porém, de falar sobre melhora de resultados, vale a pena explicar o que um gerente de lojas já faz normalmente.

De olho nos recursos materiais e humanos

A princípio, o gerente é responsável pela abertura da loja. Não se trata de apenas destrancar a porta e ligar as luzes, porém: é preciso coordenar a equipe, para que todos estejam devidamente alinhados para cumprir as tarefas do dia; checar o estoque e outros espaços e garantir que tudo esteja onde deve estar; e organizar os ambientes físicos, que muitas vezes acabam ficando bagunçados por conta do fluxo do dia anterior.

Coordenar os vendedores e outros membros da equipe também é uma das principais atribuições do gerente de loja. Ele deve ter em mente tanto as metas e atividades diárias quanto os objetivos de médio e longo prazo.

Nesse caso, além de breves reuniões diárias de alinhamento, é interessante agendar reuniões mais longas com as equipes, para que haja tempo hábil para conversar sobre as demandas maiores.

Pensando nos recursos físicos, o gerente deve ficar de olho também na estrutura, nos equipamentos e nas máquinas da loja - e ver o que precisa ser trocado ou consertado, e se algum membro da equipe precisa de orientação extra para usar os materiais corretamente.

Por fim, ele também precisa acompanhar as ações dos vendedores para garantir que estejam alinhadas com os direcionamentos da empresa. Em momentos de sobrecarga, como quando há mais clientes do que os vendedores conseguem atender, o gerente pode entrar em ação para que ninguém fique “no vácuo”.

Oportunidades de otimização

Com o básico já em andamento, é possível pensar em otimização com mais clareza. Eis quatro atitudes que o gerente de loja pode adotar para melhorar os resultados da empresa:

Tornar-se líder

Qualquer cargo de chefia traz consigo a tentação de apenas delegar tarefas, sem se preocupar com a motivação dos subordinados. Essa mentalidade, porém, tem se tornado cada vez menos comum e sendo substituída pela postura de “líder”, que se envolve de maneira mais profunda com a equipe.

Se quiser liderar ao invés de apenas “chefiar”, o gerente deve estar atento a oportunidades de oferece reconhecimento aos funcionários que realizam um bom trabalho. Conceder bônus e comissões, treinamentos especiais ou períodos de descanso “extras” são boas formas de recompensa e ajudam a motivar a equipe.

Além disso, é importante ouvir o que os seus subordinados têm a dizer - eles poderão dar o feedback necessário a respeito dos fluxos de trabalho. Um plano que parece bom no papel talvez não o seja na prática; ou, talvez, um novo método proposto pela gerência esteja funcionando e possa ser aplicado em outras áreas.

Ficar de olho em tendências e inovações

Consumidores, concorrentes e mercado normalmente passam por mudanças constantes, e novas tendências surgem (e muitas vezes desaparecem) rapidamente. Como o fluxo de trabalho da sua empresa pode ser melhorado, tendo em vista essas novidades? O que os seus principais concorrentes têm feito para não ficar para trás? Seus clientes estão ficando cansados de ver sempre os mesmos produtos em sua loja?

Um bom gerente de lojas tem essa e outras perguntas em mente.

Fidelizar e incentivar a recomendação por parte de clientes

Muitas empresas cometem o erro de olhar apenas para novos clientes, sem se preocupar com quem já adquiriu seus produtos ou serviços. O gerente de loja, ao ter contato com clientes, pode obter feedbacks valiosos e criar um relacionamento com eles, aumentando a chance de voltarem a comprar.

Promoções, clubes de vantagens e eventos exclusivos são boas formas de fidelizar um cliente. E, se o relacionamento for positivo, esse mesmo cliente pode recomendar sua loja para outros, causando um efeito que dificilmente se obtém com uma propaganda convencional.

Ter controle das operações

Por fim, o gerente de lojas deve procurar softwares que sejam especialmente adequados para o seu negócio. De nada adianta usar um programa “moderno” se ele não oferece as ferramentas necessárias para organizar o fluxo de trabalho da empresa.

Existem soluções desenvolvidas pensando-se nas particularidades de cada setor - como alimentos, equipamentos esportivos e medicamentos. O importante é que o gerente de loja possa ter uma visão ampla da performance da empresa, que lhe dará base para pensar em melhorias.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você