[ editar artigo]

Aposentadoria sim, sem ocupação não!

Aposentadoria sim, sem ocupação não!

 

Sou Ivone Aparecida dos Santos, tenho 61 anos, divorciada, professora aposentada, e apaixonada pelo artesanato. Produzo peças em crochê, costura criativa, bordo com sianinha e fita cetim, faço bonecas de pano e bichinhos diversos com destaque para os dinossauros. Nas peças voltadas para as crianças, tenho procurado colocar materiais resistentes, que não soltem e assim evitar um acidente com crianças de pouca idade que geralmente tem o hábito de levar tudo à boca.

O gosto por este ofício começou bem antes dos 10 anos, ou seja, ainda criança. Meu pai era administrador de uma fazenda e minha mãe acumulava as tarefas de casa com a profissão de costureira. Eu tinha a pele bastante delicada e me machucava facilmente, para evitar isto, minha mãe procurava buscar alternativas para o meu brincar colocando-me para "ajuda-la", desta forma fui aprendendo a gostar da lida com tecidos, agulhas e tesouras.

Em 1974, meus pais decidiram por mudar para Maringá pensando em organizar a vida de forma que eu e meu irmão pudéssemos estudar, minha mãe veio conosco e meu pai vinha em casa a cada duas semanas. Assim a vida foi acontecendo até que em 1983 meu irmão faleceu, vítima de acidente de moto. Ficamos os três: meu pai, minha Mae e eu. Na sequência veio curso universitário U.E.M. terminado curso era hora de enfrentar os concursos do município de e depois Estado do Paraná. Fui aprovada nos dois e comecei a colocar em pratica o aprendido e aprender muito mais.  Me casei, me divorciei, perdi os meus pais em 2003, momentos de dor, sofrimento, saudade, reconstrução do imaginário ao me ver sem a presença de familiares próximos, apego ao trabalho, colo e ombro dos amigos, alguns irmãos preparados por Deus em outras famílias. E assim eu consegui seguir a vida até que em 2018 chega a aposentadoria e com ela a oportunidade de retomar e me dedicar exclusivamente à paixão antiga que já me ocupava nas horas vagas: o artesanato.

Em 2019 buscando meios de viabilizar a comercialização das peças, comecei a pesquisar alternativas, fazer parcerias para feiras e conheci o Colab Canto do Ingá e a Associação Capricho das Artes sendo acolhida pela segunda ainda naquele ano. Em 2020 iniciei parceria com Canto do Ingá – Loja colaborativa.

Assim eu sigo na minha jornada criativa buscando alternativas para levar o meu trabalho aos possíveis clientes, pois, nada alegra mais um artesão que o olhar atento de um cliente. Espero a visita de vocês no meu Instagram e Facebook.

https://www.instagram.com/artesanatosivonemga/

https://www.facebook.com/artesanatosinvonemga

 

Negócios em Turismo

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você