[ editar artigo]

Roteiros e a arte de empacotar bem para o seu cliente – 3 dicas práticas

Roteiros e a arte de empacotar bem para o seu cliente – 3 dicas práticas

Que o Brasil tem inúmeros lugares maravilhosos todos nós já repetimos e ouvimos à exaustão. Mas também ouvimos com frequência que faltam produtos turísticos para vender aos turistas. Como assim? Por um lado, temos lugares lindíssimos, gastronomia rica, experiências interessantes, povo acolhedor pelo país afora, mas ainda poucos produtos turísticos?

Você, que é gestor público ou privado na área de turismo, seja em um restaurante, atrativo, agência, hotel ou pousada precisa saber como empacotar coisas interessantes para o seu cliente. Afinal, quanto mais houver para fazer na sua região, mais tempo ele ficará ou ao menos, terá vontade de voltar e falará bem!

Minha experiência com o turismo começou na década de 1990 e desde então atendi os mais variados perfis de clientes e pude montar roteiros variados, desde os mais exclusivos e inusitados, como campeonato de golf na Patagônia até os mais simples, como um city tour em uma cidade qualquer. Isso dito, as dicas aqui foram testadas e aprovadas inúmeras vezes!

Dica 1: Conte histórias

Pessoas compram de pessoas e adoram histórias. Conheça o que há de interessante na sua região e conte isso para o seu cliente. Imagine-se em duas situações:

  1. Você entra em uma loja de souvenirs e encontra um canto com produtos típicos da região. Lá você vê um pote de geleia a R$ 15, somente com a etiqueta indicando o preço.
  2. Você entra na mesma loja e junto à geleia há um cartaz indicando o preço e contando que é uma receita da família há 3 gerações e é produzida de maneira artesanal em tal sítio, observando o ciclo das frutas e só usa ingredientes naturais, sem conservantes. Além disso, ao perceber que o cliente está interessado, o vendedor se aproxima e comenta que os proprietários do sítio criaram tantos filhos com a renda das geleias e hoje os netos cuidam do negócio.

Em qual situação você estaria mais propenso a comprar a geleia? Conheça as histórias dos seus produtos e da sua região para ter o que contar para seus clientes e turistas. Histórias vendem!

Dica 2: Use e abuse do up-sell e down-sell

Conhece a estratégia usada pelos cinemas na hora de vender pipoca? Por exemplo: a pipoca pequena custa R$ 14. Ao você pedir uma pequena o atendente imediatamente oferece a média, que custa somente R$ 2 a mais. Ao comparar o tamanho das embalagens, você acabará optando pelo tamanho maior, pois o custo-benefício é excelente.

Isso se chama up-sell, ou seja, vender algo mais caro. Faça isso também com seus pacotes, cardápios e produtos. Tenha uma opção mais simples, uma mediana e outra bem completa para oferecer. Conte a diferença para seus clientes e fale que por R$ x a mais ele poderá ter tais benefícios a mais. Foque em vender o que seja mais lucrativo para você como opção intermediária.

Se o cliente considerar o que você ofereceu fora do seu orçamento, tenha sempre algo mais simples para oferecer, o que seria um “down-sell”, ou seja, venda algo mais barato. Esforce-se para fechar a venda, desde que esteja dentro da sua margem de ganhos. Nunca venda a qualquer preço. Afinal, o que nada custa, nada vale!

Dica 3: Seja ágil sempre!

Vivemos em uma era muito acelerada. As pessoas esperam respostas imediatas. Portanto, tenha sempre opções prontas dos seus pacotes e serviços.

Se for um restaurante, por exemplo, tenha cardápios prontos para eventos e grupos. Assim, poderá enviar algo rapidamente para o cliente e fazer as adaptações necessárias.

Agências devem ter os tarifários sempre atualizados para responder com agilidade!

Responder rapidamente sempre colocará seu negócio em vantagem! Adaptações poderão ser feitas, claro, mas seu cliente terá uma base de preços para conversar com você!

Bibiana Antoniacomi, proprietária da Special Paraná Turismo Receptivo em Curitiba e mentora de marketing. Turismóloga e apaixonada pelo que faz!

Negócios em Turismo

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você