[ editar artigo]

Turismo na terceira idade: expansão e oportunidades para o setor

Turismo na terceira idade: expansão e oportunidades para o setor

Explorar o mundo, viajar sem preocupação e sem ter data para voltar: essa ideia tem se tornado cada vez mais atrativa para os idosos no Brasil. Segundo um estudo realizado pelo Ministério do Turismo (MTur), a população acima de 60 anos já responde por quase 18 milhões de viagens ao ano no Brasil, o que representa uma fatia de 9% do mercado nacional.

Além de refletirem o aumento do interesse dos idosos em conhecer novos destinos, tendência é que essa porcentagem seja cada vez maior, já que a projeção é de que a população de idosos também cresça no Brasil. De acordo com o IBGE, a estimativa é de que em 10 anos os idosos representarão 16% dos brasileiros e, em 2060, 34%. Atualmente, eles representam 13% da população e 26,1 milhões de pessoas.

Motivos

Mas o que motiva o aumento do turismo de idosos? A resposta, segundo o Mtur, é simples: tempo e dinheiro. Parte deste público possui a renda mais elevada e tempo disponível para viajar. Outra importante mudança que tem sido responsável por esse crescimento são as facilidades digitais, cada vez mais acessíveis a este público. É comum ver senhores e senhoras com seus smartphones - assim, a troca de informações é um dos maiores estímulos às viagens. A tecnologia auxilia no movimento de integração desses idosos na sociedade e isso os anima a ter novas experiências para que possam compartilhar.

Esteja preparado 

Essa mudança de comportamento impacta também nas empresas, que precisam se adaptar  às necessidades e preferências desse público. Muitos idosos ainda são receosos quanto a algumas situações das viagens: de acordo com uma pesquisa realizada pela Telehelp, 63,37% dos idosos dizem que muitos hotéis não estão preparados para recebê-los. Os motivos seriam a falta de banheiros e móveis adaptados, de acessibilidade para locomoção e de programação adequada ao público da terceira idade. Os dados reforçam ainda mais a necessidade dos estabelecimentos melhorarem atendimento, comunicação, acessibilidade e adaptação dos espaços físicos. 

Um dos fatores importantes a se considerar, por exemplo, são as programações voltadas a esse público. As agências e os estabelecimentos devem ter programações mais flexíveis, para qualquer época do ano, principalmente para períodos de baixa temporada, onde a procura de viagens por idosos é grande.

Comunicação e atenção

Ser atencioso no atendimento pode parecer básico, porém é um diferencial quando falamos do trato com os idosos. Deixá-los tranquilos, passar segurança e ter paciência ao dar informações podem fazer a diferença durante a experiência dos viajantes. Então, tenha uma equipe preparada! Vale lembrar que eles também esperam ser incluídos em atividades e entretenimento durante a viagem.

Já em relação à comunicação, é preciso ter mente que, apesar da maioria dos idosos já estar conectada, muitos têm capacidades sensoriais reduzidas, como a visão e a audição, ou mobilidade. É preciso estar atento para a forma de se comunicar com este público, garantindo um bom atendimento e ter a certeza de que eles estão entendendo as informações de forma correta.

Programas exclusivos

Nada de adaptar programas de outras idades ou apenas integrar os idosos. Eles precisam de programas específicos e pensados para eles, exclusivamente. Os pacotes turísticos, por exemplo, devem ser detalhados, com programação diferenciada e atividades recreativas. Também é essencial ter uma ficha para cada idoso com informações de saúde e restrições. Os estabelecimentos também devem ser avisados com antecedência para estarem preparados para receber os idosos.

Todas essas mudanças mostram que, mais do que uma tendência, é uma necessidade as empresas do setor se adaptarem às novas mudanças. Ainda tem dúvidas de como ajustar seu negócio para esse público? Confira as cartilhas e dicas do Ministério do Turismo específicas para atender bem turistas idosos.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você