[ editar artigo]

Você já pensou em usar a realidade aumentada no seu negócio de turismo?

Você já pensou em usar a realidade aumentada no seu negócio de turismo?

 

Pequenos empreendimentos do turismo também podem recorrer a realidade aumentada como diferencial de atração de clientes

Experiência é a palavra de ordem da atualidade, inclusive no turismo. Negócios, empreendimentos, lazer, entretenimento e diversão oferecem a oportunidade de vivências para as pessoas, acumulando conhecimento e informação. Além disso, a experimentação gera percepções únicas para a vida.

No mundo, o setor de Turismo passa a contar com uma ferramenta tecnológica diferenciada que vem transformando digitalmente os espaços culturais. A realidade aumentada, que integra elementos ou informações virtuais ao mundo real, por meio de uma câmera e uso de sensores de movimento, pode ser usada no turismo para enriquecer os espaços com informação para os visitantes, além de gerar interação e vivência.

A solução utiliza componentes de hardware com processador, displays, sensores e dispositivos de entrada como smartphones, computadores e tablets, aliados a câmeras de projeção e GPS para colocar em prática a tecnologia e garantir a experiência interativa, ampliando o mundo real do usuário.  

Os recursos de realidade aumentada estão sendo usados em espaços culturais, museus e municípios ao redor do mundo, mas também podem ser adquiridos por agências de turismo e pontos turísticos para ampliar as informações sobre o local, com riqueza de dados para os visitantes. Um mirante, por exemplo, pode trazer dados sobre a vegetação do local e animais presentes na região. Já um museu de cera pode contar as histórias do personagens e até coloca-los em movimento. São inúmeras opções inovadoras que a realidade aumentada por proporcionar para os empreendedores do turismo que buscam atrair usuários e oferecer maior entretenimento.

A empresa portuguesa Nextreality já está contribuindo com a novidade, potencializando as experiências e revolucionando os negócios em turismo em Portugal. A empresa desenvolveu no Museu da Guarda a experiência de realidade aumentada que amplia a interação, informação e memória. Com a ferramenta, os visitantes podem acessar conteúdos digitais relevantes e relacionados ao patrimônio físico em exposição. Há também a possibilidade de utilizar os hologramas para servir como guias no museu, o que permite que o visitante seja recebido e orientado por uma personalidade histórica na sua visita. A solução cria uma contextualização para o momento, ampliando o entretenimento e o visitante tem a oportunidade de tirar uma foto com um rei ou um faraó, por exemplo, que pode até ser uma anfitrião da visita. Com a ferramenta 3D também é possível ter uma observação maior de um quadro e, com a visão de raio-x, o visitante tem a oportunidade de observar locais que não são abertos ao público. Todas essas opções acrescentam valor e notoriedade ao estabelecimento.

Em locais abertos é viável obter informações históricas e culturais do ambiente, expandindo a imaginação. Em Paris (França) existem placas com nomes de soldados mortos em batalhas e uma sinalização predial da maior cheia do Rio Sena que inundou a cidade. Nesse caso, a tecnologia ajuda o visitante com informações sobre os episódios históricos e mostra mais sobre a cidade antigamente. O Museu Nacional de História Natural de Washington (EUA) pode ver detalhes em 3D, assim como no Museu de Tesouros de Waterford na Irlanda, que conta também com hologramas.

O Google Maps também já é um forte aliado do turismo em relação à realidade aumentada. Para ativar os recursos, o mobile deve ser compatível com Google Play Services para RA (Android) ou com o ARKit (iOS). Para acessar, atualize o aparelho, instale o serviço e clique na opção live view para permitir o acesso. O aplicativo ajuda a encontrar as rotas a pé de forma mais prática usando a câmera do celular.

E você já pensou em fechar um pacote num parque aquático e mostrar a emoção proporcionada para as crianças nos tobogãs ou mesmo como os parques da Disney oferecem interação e movimento com cliques interativos? Há também a possibilidade de fazer um roteiro histórico para um grupo de estudantes e apresentar em 3D a visão de um museu específico que fará parte do projeto do grupo, que poderá ter um gostinho a mais de como é vivenciar a experiência de estar no lugar.

Já existem também alguns hotéis que mostram as acomodações e serviços ao oferecer reservas interativas, como um tour virtual nas instalações. Alguns restaurantes já buscam pela tecnologia para demonstrar ao cliente os ingredientes dos pratos oferecidos e até mesmo a quantidade. Há também aplicativos que quando associados à realidade aumentada servem até de tradutores em locais com idiomas desconhecidos pelo visitante.

Seu empreendimento já teve uma experiência como a realidade aumentada? Deixe seu comentário aqui na Comunidade Sebrae e compartilhe sua vivência!

 

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você