[ editar artigo]

Tipos de inovação que o empreendedor pode aplicar na estruturação da ideia de negócio

Tipos de inovação que o empreendedor pode aplicar na estruturação da ideia de negócio

Inovação vai muito além da criação de algo novo, aquelas ideias mirabolantes. Pode envolver mudanças em produtos, serviços ou até mesmo estruturas organizacionais. Você que está pensando em investir em um novo negócio deve pensar se conseguirá trazer algo inovador para o mercado e para isso é importante saber os tipos de inovações que você pode aplicar no seu negócio.

Diante de um mercado cada vez mais concorrido, inovar é o grande trunfo de muitas empresas que conseguem se destacar. Mas como estruturar o seu negócio visando inovação? Ou melhor ainda, como utilizar a inovação desde o início do planejamento do seu novo empreendimento? Algumas ferramentas podem te ajudar neste início e vamos te apresentar algumas delas.

Ferramentas para ESTRUTURAR suas ideias:

1. Funil de ideias

Esta ferramenta te ajudará a gerar ideias e selecionar uma para iniciar o seu empreendimento. É indicada para quem quer montar um negócio, mas ainda não sabe no que investir.

O Funil de Ideias o auxiliará através de duas abordagens: a primeira parte da vivência do empreendedor e a segunda de uma observação de mercado.

Funil de inovação: como ser ágil e preciso na seleção de ideias

Perguntas que devem ser respondidas na primeiras etapa do funil:

  • Quem é você? Aqui considerar suas experiências, interesses, referências, formação acadêmica, etc.
  • O que sabe fazer? Liste todas as suas habilidades, conhecimentos e talentos. A partir disso, trace ideias para seu empreendimento.
  • Quem você conhece? Pense na sua rede de contatos e como isso o ajudará na prospecção dos primeiros clientes.

Pensando na segunda parte do funil, questione-se:

  • Quais são as tendências e oportunidades no mercado? Que tal buscar o Oceano Azul, nichos ainda inexplorados pelo mercado? Aqui sua pesquisa consistirá em identificar oportunidades, seja um nicho ainda não atendido, seja a insatisfação dos clientes com algum produto ou serviço, ideias de outros locais que podem ser adaptadas a sua, etc.
  • Que ideias são compatíveis com seu perfil? A partir das respostas da pergunta anterior, o que te motivaria a abrir um negócio? Classifique suas ideias de acordo com seu nível de interesse.
  • Há mercado para essa ideia? Avalie quem serão seus potenciais clientes.

2. Scamper

É uma técnica de geração de ideias que foi criada com o objetivo de contornar situações corriqueiras que acontecem quando iniciado um brainstorming. Uma delas era quando o grupo perdia o foco durante a discussão e acabavam não gerando ideias e a outra era quando dava aquele “branco criativo” na equipe.

Bom, a sigla Scamper está relacionada aos conceitos de geração de ideias criativas e inovadores e quer dizer:

  • Substituir: é possível substituir algum material utilizado no processo de criação do seu produto ou serviço?
  • Combinar: ideia de combinar elementos de forma criativa em busca de um diferencial.
  • Adaptar: você não conseguirá ter todos os elementos necessários para executar uma ideia? Neste caso analisar se é possível fazer alguma adaptação para que alguma coisa seja aproveitada.
  • Modificar: uma pequena mudança pode resultar no lançamento de um novo produto ou serviço.
  • Propor: você está explorando todo o potencial do seu produto ou serviço? É possível propor novos usos para eles?
  • Eliminar: uma nova solução pode surgir quando você reduz custos e libera capacidade produtiva para novas ofertas.
  • Reorganizar: analise sua cadeira produtiva e qual impacto terá trocar a sequências das etapas do seu processo.

A utilização da ferramenta tem como ponto fundamental partir de um problema ou desafio real que pode estar relacionado a qualquer uma das etapas da gestão estratégica, desde a pesquisa de mercado até a distribuição ou comunicação do seu produto.

Ferramentas para VALIDAR suas ideias:

3. Análise 360° de oportunidades de negócios

Indicado para os empreendedores de primeira viagem. Ajudará a verificar se sua ideia é viável ou não e guiá-lo para análise dos aspectos internos e externos do seu novo negócio.

Para utilizar essa ferramenta, é preciso escolher qual ideia será avaliada (caso tenha mais de uma, deverá repetir a análise para cada uma delas. A análise de oportunidades é feita em duas etapas:

  • Aspectos externos da ideia: qual o problema do mercado que sua ideia resolve? Outras perguntas pertinentes aqui seriam:
    1) O cliente vê seu produto ou serviço e entende que será a melhor solução para o problema que ele tem?
    2) Resolverá o problema de um número significativo de pessoas?
    3) Qual o potencial de lucratividade e rentabilidade?
    4) Sua ideia é realmente melhor do que as soluções já oferecidas pela concorrência?
  • Aspectos internos: a ideia analisada é realmente a melhor para o seu perfil empreendedor? Outras perguntas a se responder aqui:
    1) Representa uma de suas paixões pessoais?
    2) Caracteriza um desafio intelectual que o motivará a estar em aprendizado contínuo?
    3) Tem um mercado consumidor amplo?

4. Mapa da Empatia

O Mapa da Empatia é uma ferramenta que ajuda a nos colocarmos no lugar dos clientes de um negócio. A ferramenta exercita diversas reflexões sobre o que o cliente diz, faz, vê, pensa, sente e ouve para ajudar no desenho do modelo de negócio da empresa.

Ele serve para definir rapidamente o perfil de um cliente e quais suas necessidades, desejos e aspirações a respeito de um produto ou serviço e o ajudará a definir sobre criação de novos produtos ou processos de atendimento no ramo de serviço ao cliente.

Colocando a ideia em PRÁTICA:

5. Canvas

O Canvas é muito utilizado no mundo dos negócios e auxilia os empreendedores numa definição de modelo de negócio, relacionando as informações de forma sistêmica, integrada e rápida. O Sebrae disponibiliza uma ferramenta para criação deste modelo online neste link.

6. Design Thinking

O Design Thinking se estrutura em três pilares com a missão de integrar as pessoas envolvidas no processo, com perfis e pensamentos distintos, com a meta de criar soluções inovadoras e revolucionárias. São eles:

  • Empatia: para a criação de soluções inovadoras, é preciso nos colocarmos no lugar do outro ser humano, ou seja, deixar os nossos próprios pré-julgamentos de lado para de fato compreender as pessoas.
  • Colaboração: a criação de um conhecimento criativo não pode ser feita por uma pessoa só, é muito importante a colaboração ou a cocriação entre profissionais multidisciplinares, gerando interpretações e impressões diferentes.
  • Experimentação: colocar em prática toda a observação, ideação e criatividade das etapas anteriores. Experimenta-se para ver se tem chance de dar certo e visa errar o mais cedo possível, com isso aprimorar a ideia ou começar de novo, diminuindo riscos e otimizando recursos.

O objetivo principal de todo esse método é determinar e entender o perfil do consumidor e questionar o que já está sendo feito, buscando sempre melhores respostas a partir da análise e identificação dos desejos e problemas do consumidor.

E aí, o que você achou? Deixa nos comentários. 

Um abraço e até a próxima,
Franciele Dulla  

Novos Negócios

Comunidade Sebrae
Franciele Dulla
Franciele Dulla Seguir

"Levar os clientes a alcançar Sucesso é um grande desafio, por isso entender as dores, experiências e jornadas dos clientes são fundamentais." Formada em Administração de empresas, especialista em relacionamento e Sucesso do Cliente.

Ler conteúdo completo
Indicados para você