[ editar artigo]

Voar, um negócio novo de novo

Voar, um negócio novo de novo

Nos tempos atuais vivemos muitas mudanças, as mais intensas e desagradáveis estão sendo as que o Corona vírus nos força a fazer. Comer, trabalhar e até viajar não são mais verbos tão fáceis de conjugar na prática. E, falando em viajar, o turismo não será mais o mesmo. Os hábitos estão se modificando e as empresas precisam se adequar, mas enquanto a crise se instala, as oportunidades vêm na bagagem.

Segundo dados do Painel de Indicadores do Transporte Aéreo da ANAC, as viagens aéreas vêm se mantendo há vários anos como responsáveis por mais de 60% das viagens interestaduais no Brasil, isso indica que mudanças no setor turístico serão sentidas na aviação comercial, e vice-versa. Tanto que algumas mudanças de rotas, com o perdão do trocadilho, já são sentidas na aviação mundial.

Mudanças nas legislações de muitos países estão levando as companhias aéreas a exigir que todos os passageiros e tripulantes usem máscaras no aeroporto e durante o voo. Lojas de lembranças, variedades e até free shops poderão comercializar essas máscaras. Já algumas companhias áreas americanas estão fornecendo máscaras antes do embarque e até como item na necessaire de cortesia.

Além de obrigatoriedades acima, outras companhias aéreas começaram a fazer exames durante o check-in para detectar se algum passageiro está infectado com a Codiv-19. Isso quer dizer que além do tradicional raio-x, exames rápidos de infecção viral podem ser efetuados em alguns locais. Outras companhias aéreas árabes foram mais longe, criando processos de self-check-in, em que o próprio cliente faz o despacho de suas bagagens e as aferições de saúde necessários, como oxigenação, batimentos cardíacos e temperatura corporal.



Em um futuro não tão distante, além do passaporte e outros documentos de identificação, um Certificado Internacional de Vacina contra a Covid-19 será requerido, sendo então, quando houver vacina, estar imunizado uma obrigação para viajar. Portanto, pacotes das agências terão mais alguns itens além do seguro saúde, como comprovante de tal imunização.


A automação será mais intensa. Desde despacho de bagagem, compra de alimentos e souvenirs. O campo da inovação é muito amplo. A diretriz principal está sendo e continuará a preservação e diminuição do contato direto entre pessoas para evitar contaminação. Empresas de tecnologia que entenderem isso terão muito trabalho e retorno.

Essas são algumas das tendências e oportunidades que a aviação comercial está tendo. Então, seja para viajar para as cataratas paranaenses, ao aeroporto no coração da capital paulista ou aos parques tropicais americanos, turistar vai ser diferente.

A Aviação como um todo irá sobreviver, junto dela o setor de turismo também. Mudanças e inovações são necessárias para isso. Desde os anos 40, crises do petróleo, abertura econômica, atentados em solo americano e outras pandemias virais, o segmento turístico se adaptou, voando por cima das dificuldades e pousando em pistas firmes de sonhos e objetivos realizados.

Olhe para cima empreendedor, para os lados e entenda que a mudança veio para ficar, portanto que mudemos para melhor.

📌 Faça parte da Comunidade Novos Negócios e tenha acesso aos melhores conteúdos!

Afonso Antoniassi 

Novos Negócios

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você