[ editar artigo]

A força do engajamento

A força do engajamento

Empreendedorismo busca nas relações com o mercado o boca a boca, o engajamento e a solidez com o cliente

Muito se fala em construção da marca de uma empresa a partir das ações relacionadas exclusivamente de branding, incorporando o estudo e implementação de novos layouts à identidade visual da empresa ou até mesmo alterando o posicionamento da organização em relação à sua missão, visão e valores. Isso é um grande passo, sem dúvida nenhuma, na construção ou alteração da identidade corporativa. Mas para ganhar engajamento, esse trabalho deve ser aliado a uma estratégia de Public Relations.

A ação, nada mais nada menos, é a ativação dos olhos da instituição para o mercado e a relação dela com seus stakeholders: parceiros, fornecedores e por que não os clientes de seus produtos ou serviços. Essa abertura para o ‘mundo’ entra um pouco no famoso ditado “quem é visto é lembrado”, porque exibe muito mais a empresa e suas ideologias ao público interessado, iniciando um processo de engajamento. Mas essa abertura e o sucesso da estratégia não estão exclusivamente ligados apenas no envio de notas e releases à imprensa ou na veiculação de um comercial na TV.

As ações de PR – abreviação do termo Public Relations – entram literalmente na relação com o mercado: por meio da conversa com o público, interação com o consumidor através de mais transparência e credibilidade de seus produtos e serviços e, principalmente, no engajamento de pessoas a partir de outras pessoas.

Ações de Relações Públicas têm o objetivo de atrair pessoas influentes para que a partir delas sejam atraídas outras e outras. Pode parecer um pouco aquele modelo de marketing antigo, porém não ultrapassado (que hoje foi substituído pelas redes sociais): o marketing de boca a boca. Mas isso, apenas, não move montanhas. São necessários movimentos da empresa e seus executivos a partir da comunicação junto à opinião pública para que tudo caminhe com sinergia na mesma direção e crie o engajamento necessário e desejado.

Vale lembrar: não adianta apenas querer construir uma marca forte e obter engajamento a partir de inverdades e estratégias não pensadas, ou que não refletem a verdadeira essência ou pensamento da organização. Por isso, antes de sair executando sem pensar é importante se cercar de profissionais e/ou empresas qualificadas para a realização do trabalho, analisar e preparar todos os cenários possíveis a partir dos movimentos e resultados que possam ocorrer. Senão, aquele marketing de boca a boca que falamos há pouco que pode tornar a marca forte, também pode colocar tudo a perder.

John Hall, co-fundador da Influence e CO, disse em um artigo na Forbes que o PR é uma ferramenta indispensável para marketing, comunicação com investidores, recrutamento e para várias outras áreas de uma empresa.

O Media Update destaca que a maioria das empresas e dos empreendedores precisa de um nicho de atuação específica para se destacar e que o PR pode ajudá-los a se comunicar com a mídia, proteger reputações comerciais e implementar estratégias promocionais. Isso lhes dá a capacidade de escolher entre uma ampla gama de setores e conquistar engajamento orgânico de qualidade.

 

Comunidade Sebrae
Paula Batista
Paula Batista Seguir

Jornalista, especialista em Ciência Política e Sociologia Política. Graduanda em Direito, trabalha na Agência de Notícias Lide Multimídia e atua comunicação há mais de 20 anos.

Ler matéria completa
Indicados para você