[ editar artigo]

Como o seguro pode ajudar os empreendedores

Como o seguro pode ajudar os empreendedores

Muitos empreendedores podem pensar que o seguro é um luxo ou um custo, mas, na verdade, ele é um excelente meio de preservar o negócio. Um acidente, um incêndio, uma paralisação na produção e, para os empreendedores individuais e profissionais liberais, um seguro de responsabilidade civil pode fazer a diferença em situações de crises, danos a terceiros ou eventuais falhas.

Hoje em dia já temos seguros para as mais diferentes situações, dos tradicionais de proteção à vida, empresa, veículos, até seguros em grupo para os colaboradores. É importante ter em conta que todos estamos sujeitos a imprevistos, e em momentos de falta de poucos investimentos e crédito no mercado, qualquer comprometimento das atividades pode ser o fim de um negócio.

Pequenos e médios empresários já perceberam as vantagens de ter um seguro. Os números do primeiro quadrimestre neste ano comprovam que o crescimento no setor de seguros de responsabilidade civil foi de 22,6%, segundo a SUSEP (Superintendência de Seguros Privados), que regulamenta o setor. Dados da Empresômetro mostram que o Brasil conta hoje com cerca de 20 milhões de empresas ativas e destas apenas 10% possui algum tipo de proteção securitária.

Conheça mais sobre três tipos de seguros que ajudam o empreendedor

Seguro de responsabilidade civil

O seguro de responsabilidade civil é a modalidade que garante proteção financeira em caso de responsabilização por eventuais falhas em sua atividade profissional, que causem danos a terceiros. Ele é fundamental para a manutenção da continuidade das atividades do profissional que, eventualmente, cometa um erro no exercício do seu negócio.

O advogado Emerson Magalhães, especialista em seguros, do escritório Küster Machado Advogados, diz que esse seguro garante não só a tranquilidade do profissional, como também dos seus clientes, pois, eventualmente, poderá ser reparado dos prejuízos que venham a sofrer.

Os riscos enfrentados diariamente pelos profissionais são incalculáveis. O especialista disse que é preciso informar, com extrema honestidade, os riscos que envolvam sua atividade, pois informações omitidas ou ‘’esquecidas’’ podem fazer grande diferença na hora de eventual regulação de sinistro.

Seguro garantia para quem contrata com o setor público

Esta modalidade de seguro surgiu nos Estados Unidos. No Brasil, subdivide-se em dois ramos: Seguro Garantia: Segurado – Setor Privado e o Seguro Garantia: Segurado –Setor Público. Esse último abrange contrato de prestação para entes federativos, porém, com o custo muito abaixo das garantias ofertadas por meio de fiança pelas instituições bancárias, objetivando a participação em licitações de empresas menores.

Cyber Seguros como proteção contra ataques cibernéticos

Os prejuízos decorrentes de ataques cibernéticos crescem de forma alarmante a cada ano. Estima-se um prejuízo mundial de US$ 2,1 trilhões até 2019, de acordo com o estudo Cyber Handbook da consultoria de risco e corretoras de seguros Marsh. Exemplo disso são os últimos dois ataques cibernéticos mundiais que ocorreram em maio e junho do ano passado. Os ataques foram na modalidade ransomware, na qual os hackers criptografam ou bloqueiam o sistema de computador de uma empresa e, em seguida, exigem resgate para descriptografá-lo ou liberá-lo.

Hoje em dia, são raras as empresas que não trabalham com sistema e armazenamento de informações vitais em computadores, como dados pessoais e corporativos, documentos de identidade, endereço físico e eletrônico, número de cartão de crédito, número do passaporte, registros médicos, planos de negócio, orçamentos, dentre outros. Qualquer organização que armazena dados pessoais e corporativos de seus clientes está exposta a um ataque de hackers, falhas na segurança do sistema, divulgação pública dos dados, contaminação de base de dados por vírus, entre outros mais.

A preocupação das empresas não é só com a perda ou sequestro dos dados dos negócios, mas também de dados dos clientes, sob os quais existe a responsabilidade pela guarda e um eventual vazamento pode acarretar o dever de indenizar.

As apólices abrangem não apenas a responsabilidade civil em reparar o dano, mas também pode contar com: envio de notificações aos consumidores afetados, danos à reputação e à marca, investigação forense, ações jurídicas, correções de Tecnologia da Informação, multas e outras punições, dentre outras coberturas.

E você, possui seguro do seu patrimônio físico, tecnológico e intelectual? Conte sua experiência e compartilhe de soluções que encontrou na sua operação.

Comunidade Sebrae
Paula Batista
Paula Batista Seguir

Jornalista, especialista em Ciência Política e Sociologia Política. Graduanda em Direito, trabalha na Agência de Notícias Lide Multimídia e atua comunicação há mais de 20 anos.

Ler matéria completa
Indicados para você