[ editar artigo]

Dicas de gestão e liderança

Dicas de gestão e liderança

Investir na capacitação de lideranças é a orientação dos especialistas

Os processos que levam à escolha de lideranças e gestores nas empresas brasileiras, muitas vezes, passam longe dos critérios como formação, comportamento e habilidades. Especialistas dizem que no país ainda vemos escolhas feitas de forma paternalista, que levam em conta, por exemplo, apenas o tempo de serviço na empresa, a confiança, etc.

O especialista em recursos humanos Luciano Santana Pereira nos conta que no Brasil nós temos um déficit muito grande entre as necessidades de liderança que as empresas têm e o perfil do gestor que está ocupando o cargo.

Devido ao fato desses gestores ou lideranças não terem a preparação técnica, conceitual e comportamental para atuar nesses cargos, estas pessoas têm dificuldades de operacionalizar algumas ações simples e importantes como um efetivo feedback. Cria-se a cultura, junto aos funcionários, de que este é um momento de levar bronca, pois esse gestor que fica tenso e angustiado também em aplicá-lo, descarrega uma carga emocional muito grande na hora de transmitir essas informações, por exemplo.


Por isso, o melhor caminho para solucionar essas distorções nas lideranças das empresas é o investimento estratégico em capacitações, tanto dos atuais líderes como naqueles com certo potencial de se tornarem no futuro. É importante pensar que no futuro a empresa precisará de novos gestores e, para não cair mais uma vez em uma escolha paternalista, preparar os profissionais para isso.

O caminho decisivo é a capacitação dos atuais e também de estratégicas para a formação dos futuras lideranças.

Dados da Confederação Nacional da Indústria (CNI) mostram que cerca de 70% das empresas têm dificuldade em obter mão de obra qualificada no Brasil. Para solucionar a falta de qualificação no mercado, empreendedores e lideranças estão investindo na capacitação em massa de seus colaboradores, o que é feito por meio das plataformas educacionais. E os dados comprovam: segundo a pesquisa Panorama do Treinamento no Brasil, mais de 200 bilhões de reais são investidos anualmente em treinamentos corporativos no país.

O Mapa Estratégico da Indústria 2018-2022, que aponta caminhos para o desenvolvimento do Brasil, mostra que há quatro eixos diretamente relacionados à produtividade e inovação: gestão empresarial, inovação, qualificação profissional e internacionalização.

Em uma empresa, seja ela pequena, média ou grande, o quadro de colaboradores e suas lideranças precisam sempre estar alinhados em prol de um mesmo objetivo: o crescimento e solidificação da organização. Por isso, apostar na capacitação de líderes tem um papel fundamental nesse processo, já que são eles que direcionam os funcionários.


Jorge Matos, presidente da ETALENT, diz que, antes de tudo, é preciso identificar e trabalhar os diferentes perfis de lideranças, já que estamos falando de pessoas e suas respectivas personalidades, que influenciam diretamente na maneira como atuam. Indo além, os líderes podem e devem servir como exemplo para os profissionais que almejam crescer e se firmar em um plano de carreira interessante.

Investir na capacitação de líderes apresenta uma série de benefícios para as empresas, entre elas, a melhoria na mediação de conflitos, aumento da produtividade, retenção de talentos, influência em decisões corretas, entre outros. Para o especialista, dois aspectos principais são importantes: o primeiro é que há a necessidade de líderes para todos os estilos definidos. O segundo é que, independente do estilo que o líder tenha, ele tem que procurar entender quais são as demandas para que ele exerça adequadamente a liderança necessária.

Comunidade Sebrae
Paula Batista
Paula Batista Seguir

Jornalista, especialista em Ciência Política e Sociologia Política. Graduanda em Direito, trabalha na Agência de Notícias Lide Multimídia e atua comunicação há mais de 20 anos.

Ler matéria completa
Indicados para você