[ editar artigo]

Empreendedores apostam no setor automotivo

Empreendedores apostam no setor automotivo

Uma das paixões dos brasileiros são os automóveis e algumas startups estão apostando nesse mercado para oferecer serviços, produtos, interação e até facilitar a venda para esse público.

A Mobiauto, por exemplo, é um case bastante interessante, pois tem como proposta facilitar a conexão entre compradores e vendedores físicos e jurídicos. Segundo os inovadores, a plataforma surge como novo player do mercado nacional, com base de 200 mil veículos em seu catálogo, sendo 25% zero quilômetro e 75% seminovos, distribuídos em mais de 3,1 mil revendas ativas em todo o Brasil. O Sudeste ocupa fatia relevante (a maior), com 1.801 pontos na região: Espírito Santo (44), Minas Gerais (216), Rio de Janeiro (251) e São Paulo (397).

O CEO da startup, Sant Clair de Castro Júnior, explica que a plataforma atua como intermediária entre comprador e vendedor em milésimos de segundo. Eles estão concentrados em oferecer uma comunicação ágil entre ambos. A partir de conversas com lojistas de todas as regiões, compreenderam as necessidades de mercado para focar em um serviço mais humanizado. Investiram em processos que qualificam o lead, para que ele chegue ao ponto de venda com probabilidade maior de conclusão do negócio. Com isso, estimam um volume de 200 mil contatos por mês.


Com uma forma que facilita a busca do usuário, o catálogo de veículos do site permite a consulta por marca e traz informações gerais e específicas de todas as versões disponíveis a partir do modelo procurado: ficha técnica, preço inicial, entre outros. Outro recurso disponível é a possibilidade de consultar a tabela FIPE atualizada com informação do preço final do automóvel. Essas informações dispensam a necessidade de abrir uma nova tela para verificar o valor de mercado do veículo escolhido.

Acreditando também na força do setor automotivo, a startup CarFix foi o primeiro marketplace com a missão de conectar clientes que precisam de serviços automotivos em empresas especializadas. A plataforma foi pensada para o consumidor que não tem seguro e necessita de um reparo em seu veículo, mas, não apenas para eles, serve para qualquer serviço automotivo, desde despachante, autoescola até uma blindagem e manutenção preventiva, como trocar pastilhas e óleo.

Criada em 2018, a ideia surgiu após Gabriel Bialli, um dos fundadores, passar pela dificuldade em encontrar oficinas. Ele conta que ficou parado com seu carro na Marginal Pinheiros em horário de pico sem nenhum contato de guincho e passou por um sufoco. Foi nessa situação que o engenheiro começou a quebrar a cabeça, buscar soluções online e não encontrou nada que de fato resolvesse seu problema na hora.


A plataforma conta com diversas opções de serviços que se encaixam nas categorias: Auto Elétrica, Auto Peças, Blindagem, Documentação, Emergência, Estética Automotiva, Funilaria, Locadora de Carros, Mecânica, Performance, Rodas, Suspensão e Vidros. O funcionamento é bem simples e intuitivo. Basta você enviar os dados da localização do veículo e preencher as informações do veículo e do serviço a ser executado, e recebe o contato de até três empresas com diferentes orçamentos. Aí, é só escolher qual cabe melhor no seu bolso e de certa forma seja mais benéfica e rápida para o que você precisa.


Bárbara Siqueira, inovadora brasiliense, migrou da gestão do mundo da moda para criar a startup Olho no Carro, focada em oferecer mais segurança nas transações comerciais de veículos. A empreendedora criou uma plataforma de pesquisa do histórico de veículos seminovos e usados pela placa, como leilão, quilometragem, Renavam, sinistro, chassi remarcado, etc.

Para ela, a ideia surgiu para oferecer mais segurança no processo de compra, evitando prejuízos financeiros decorrentes de restrições que desvalorizam o preço de mercado do veículo e oferecendo a possibilidade de validação das informações fornecidas pelo vendedor.

O usuário pode acessar o serviço via aplicativo e consultar off-line o histórico de pesquisas, além de poder contratar a startup em dois tipos de modelo, um pré e outro pós-pago. No plano pré-pago, o cliente escolhe uma consulta que vai de 6,90 a 37,90 reais, dependendo do que é pesquisado. No pós-pago, é feita uma assinatura mensal que vai de 50 a mil reais, dependendo do número de pesquisas. Criada em 2017, tem sede em São Paulo, conta com seis colaboradores e já atendeu mais de 5 mil clientes.

 

Comunidade Sebrae
Paula Batista
Paula Batista Seguir

Jornalista, especialista em Ciência Política e Sociologia Política. Graduanda em Direito, trabalha na Agência de Notícias Lide Multimídia e atua comunicação há mais de 20 anos.

Ler matéria completa
Indicados para você