[ editar artigo]

Energia renovável inspira startups brasileiras

Energia renovável inspira startups brasileiras

As energias sustentáveis, renováveis, que antes eram um sonho longínquo no planejamento de muitas empresas e empreendedores está se tornando uma realidade. Recentemente, o jornal Valor Econômico publicou uma matéria abordando os menores valores da energia eólica, por exemplo, em relação a energias a partir dos combustíveis fósseis que, segundo pesquisadores e organizações de todo mundo alertam: estão em vias de quase extinção.

De olho no futuro – e buscando alternativas mais econômicas, sustentáveis e viáveis – muitas startups estão investindo nesse filão de mercado. E isso é fantástico, já que dessas inovações muitas vantagens vão surgindo para os empreendedores de todas as pontas. Ganha também o consumidor, que pode inclusive pagar menos.

Fabiano Cislaghi Dallacorte, coordenador estadual do Metalmecânico e Energia do SEBRAE/RS, escreve um pouco sobre o mercado das energias renováveis para as startups, mostrando como as pequenas empresas também podem conquistar muito espaço nesse mercado.

Um exemplo é a mineira Sunew, uma startup que hoje é líder mundial em filme fotovoltaico orgânico (OPV), que é uma membrana leve e flexível capaz de gerar energia solar. A tecnologia é mais eficiente e sustentável do que as placas de energia solar tradicionais. A tecnologia pode ser aplicada em empresas de qualquer porte e chamou muito a atenção de grandes empresas. Em fevereiro deste ano, eles anunciaram a instalação da tecnologia criada por eles na sede da Natura, em Cajamar (SP).


Quando comparado a outras tecnologias de geração solar, como as que utilizam placas de silício, o OPV é uma alternativa de energia mais eficiente em relação ao impacto ambiental. Por exemplo, com a instalação, a Natura deixará de emitir 5 toneladas de dióxido de carbono por mês. Isso equivale à emissão produzida pelo consumo de 1.930 litros de gasolina no mesmo período. Além disso, os filmes são feitos de material orgânico não tóxico, com impressão similar à indústria têxtil, e requerem menos energia para serem produzidos.

Os filmes têm aplicação mais simples e versátil, por serem mais leves e flexíveis, o que facilita a adaptação às diversas superfícies. A Sunew firmou, ainda, um compromisso com a Fundação SOS Mata Atlântica, que prevê o plantio de uma árvore a cada metro quadrado de OPV produzido. Ao final do projeto, serão plantadas 2.020 mudas de espécies nativas da Mata Atlântica.

Outra brasileira se destacando é a Sun Mobi, fundada em 2016, por uma dupla de especialistas do setor elétrico brasileiro e tem como objetivo promover o uso de energia limpa e sustentável. Segundo dados da startup, o Brasil tem um enorme potencial para geração de energia solar, mas menos de 1% do total da energia é a partir de sistemas solares fotovoltaicos.

Na Alemanha, por exemplo, 6,5% da produção da energia é solar, podendo chegar a até 50% em feriados e finais de semana, mesmo com uma baixa irradiação solar.

Portanto, há em nosso país possibilidades incríveis e prontas para serem exploradas. E eles estão apostando nisso. O consumidor baixa o aplicativo da Sun Mobi, calcula a quantidade de energia que vai contratar de acordo com o histórico de consumo, assina o contrato e recebe os funcionários da empresa em casa para a instalação de pequenos sensores que informam o gasto de energia em tempo real.


Direto do nordeste do país temos o exemplo da Sunne Energias Renováveis. Eles criaram uma plataforma para a compra de créditos de energia solar que interliga usinas de energia solar a lares e pequenos comércios, compartilhando créditos de energia e economizando sem necessidade de alto investimento pelo usuário.

No Rio de Janeiro temos a Orbita, com uma proposta de plataforma de compartilhamento de energia e projeto de instalação de painéis solares em locais ociosos de áreas urbanas para gerar energia solar compartilhada e a conectar com pessoas físicas interessadas em gerar a própria energia.

A CUBI Energia é outra inovadora que está se destacando no mundo, com a proposta de soluções que englobam instalação de medidores inteligentes, processamento inteligente e plataforma de acesso. Eles estão entre as 10 startups de mais destaque no Open Innovation Brasil.

 

Comunidade Sebrae
Paula Batista
Paula Batista Seguir

Jornalista, especialista em Ciência Política e Sociologia Política. Graduanda em Direito, trabalha na Agência de Notícias Lide Multimídia e atua comunicação há mais de 20 anos.

Ler matéria completa
Indicados para você