[ editar artigo]

Influenciadores digitais impactam a Gastronomia

Influenciadores digitais impactam a Gastronomia

Que o mercado de comunicação vem mudando todos nós já percebemos. Estamos vivendo isso, assim como os canais de imprensa, que detêm ainda o maior nível de credibilidade, e agora têm como meta manter esse ativo, se tornar cada vez mais relevante e engajar o maior número de público para ampliar seus indicadores de audiência.

Audiência essa que já está em poder dos influenciadores. Estes navegam na web no sentido contrário dos veículos e têm o desafio de ampliar seus níveis de credibilidade, pois em termos de relevância o mercado e a opinião pública já os percebem.

E quando o assunto é gastronomia, parece que os aromas e sabores são um prato cheio para atrair a atenção de ambos os canais, gerar buzz, engajar e ampliar o conhecimento de marcas e chefs.

No final do ano passado, a MindMiners, startup de tecnologia especializada em pesquisa digital, divulgou uma pesquisa sobre a relação dos brasileiros com os influenciadores digitais. Segundo os dados, 93% das pessoas que participaram do estudo responderam que viam influenciadores divulgando produtos os serviços nas redes sociais. Outros 45% afirmaram ter comprado algum produto ou usado serviços após acompanhar a divulgação feita por um influenciador (assim considerado por possuir acima de 100 mil seguidores nas redes).

Fruto da expoente geração millenials (ou Y, como preferirem), na maioria formado pelos apelidados de nativos digitais, estes canais oferecem amplitude, escala e forte poder de relacionamento direto e sincero com o público. Eles são capazes de gerar desejo a partir de conteúdo verdadeiro e que engaja, graças à construção de uma rede de seguidores que acompanham determinado canal. O poder deles de estabelecimento de redes de conexão é imbatível e invejado no mercado.

Dentro desse contexto, temos players do setor de Gastronomia, universo rico de cultura, experiências, negócios lucrativos, outros nem tanto, mas que cumprem um papel fundamental no mundo. O de reunir pessoas em volta da mesa.

Como não aproveitar? Por se tratar de um segmento ligado, acima de tudo, ao desejo, os empreendedores que atuam com Gastronomia podem e devem utilizar influenciadores para impulsionar, consolidar e gerar ainda mais valor à sua marca.


O que mudou na prática nesse relacionamento?

A forma de construí-lo de forma mais criteriosa e seletiva, com canais de imprensa e influenciadores, priorizando aqueles que têm realmente afinidade com o valor da sua marca, da sua operação e das suas estratégias de comunicação. Entra em cena também com força a espontaneidade, aquela foto amadora, de momento, que cria desejo, ainda mais na hora certa de aquecimento da operação ou da “fome” dos seguidores.

Alguns recursos como geolocalização serão grandes aliados nesta estratégia. Quando acessa o Instagram e vai checar os stories ou olhar a timeline, o usuário espera encontrar impressões e imagens verdadeiras, que representam exatamente aquilo que ele vai encontrar quando for em tal estabelecimento.

No fim o objetivo de ambos os canais, veículos e ferramentas de redes sociais é o mesmo, informar com qualidade e impactar a audiência, cada um do seu jeito, e como são complementares.

Seja um restaurante com três estrelas Michelin ou uma lanchonete de esquina, todos podem utilizar os influenciadores digitais. O papel agora é selecionar e avaliar os canais que vai interagir. Estudar o engajamento – evitando página com muitos seguidores e pouco envolvimento -, entender a linguagem e conhecer o público que segue o influenciador é fundamental para elaborar suas ações de divulgação de forma estratégica e efetiva para o seu cliente.

E, reforçando, o relacionamento é outra parte essencial desse processo. A clareza e transparência nas relações.

Conversar com os influenciadores, entender como eles trabalham e de que forma eles atuam irá fazer toda a diferença na sua atuação. Essa aproximação possibilitará, inclusive, que você tenha acesso a dados da página, como impacto dos stories e dos posts – alcance, impressões, etc – produzidos pelo influenciador em sua página. Tais números vão enriquecer sua análise para buscar o melhor resultado com as ações de divulgação do seu negócio.


Um exemplo de sucesso é o empreendedor Keen Arakaki (SP). Ele, que também é um influenciador, criou uma pizzaria delivey, a “Nós Amamos Pizza” e procura fazer ações com os chamados “nanos influenciadores”, ou seja, aqueles com até 8 mil seguidores ou menos. Ele oferece um cupom de desconto a eles, que publicam em suas redes e os seguidores podem se deliciar com uma pizza com desconto divulgado pelo influenciador. Dessa forma, de maneira bem palpável, ele consegue medir os resultados do seu investimento.

O padeiro artesanal, Alex Duarte, é outro exemplo de sucesso. Proprietário da Padoca do Alex, antes de investir em seu próprio negócio ele atuava como analista de sistemas. Fã de programas de culinária, ele resolveu mergulhar fundo nas receitas, se especializou em panificação e deu uma guinada na sua vida. Hoje, além de tudo, é um dos principais influenciadores desse segmento. Inclusive, recebe pedidos dos clientes pelas redes sociais.

 

 

Comunidade Sebrae
Paula Batista
Paula Batista Seguir

Jornalista, especialista em Ciência Política e Sociologia Política. Graduanda em Direito, trabalha na Agência de Notícias Lide Multimídia e atua comunicação há mais de 20 anos.

Ler matéria completa
Indicados para você