[ editar artigo]

Mobilidade: Veículos autônomos, inteligentes e compartilhados

Mobilidade: Veículos autônomos, inteligentes e compartilhados

Soluções que tornam possível a locomoção de pequenos a grandes trajetos sem a necessidade de um condutor já são realidade. O transporte do futuro mistura carros elétricos, internet das coisas (IoT), inteligência artificial (IA), drones e economia compartilhada.

De acordo com o relatório realizado pelo Fórum Econômico Mundial sobre o futuro da energia e mobilidade, os veículos autônomos, inteligentes e compartilhados são a grande aposta do mercado automobilístico. O documento que foi elaborado com a ajuda da Bain & Company examinou as tendências dos sistemas de energia e mobilidade, focando nas cidades. Esse estudo aponta que é preciso integrar novos padrões de mobilidade urbana a fim de acelerar a capacidade das cidades em atingir as metas climáticas, apoiando a eficiência energética e o fomento de serviços e infraestrutura. Quando esses fatores são combinados, a produtividade e o crescimento econômico aumentam drasticamente.

Além disso, à medida que as viagens realizadas com veículos inteligentes aumentam, o sistema de energia pode ter uma redução de custo de até 40%. Outra vantagem é a redução da emissão de CO2, uma vez que aumenta o uso de energia eólica e solar.

Foco da venda de automóveis para a oferta de serviços de mobilidade urbana
O carro do futuro é conectado, eletrificado e com funções de automação. O elétrico vai criar um novo ecossistema, uma vez que a sociedade em rede torna o automóvel mais um meio de comunicação com outros equipamentos e pessoas.

Por exemplo, o protótipo criado pela Toyota foi desenvolvido para que os consumidores aproveitem a conectividade do carro. Os automóveis utilizam a IA e o reconhecimento facial, além de painéis touch screen, carregar na tomada, possuir retrovisores com câmeras ao invés de espelhos, possibilidade de enviar mensagens e ferramentas de localização.

Os veículos elétricos serão a base para os autônomos, possibilitando outras formas de mobilidade urbana. Com a possibilidade de andarem sozinhos pelas ruas, os carros poderão ser usados por um número maior de pessoas, o que diminui o congestionamento. Desta forma, ele poderá passa a ser compartilhado.

No Brasil, o Cruze da GM já é comercializado com uma versão Easy Park, que possui um sistema de Park Assist. Assim como outros fabricantes que oferecem novas tecnologias pensando na comodidade e segurança dos ocupantes, nesse caso o sistema usa sensores e câmeras para estacionar quase que sozinho o veículo. O recurso facilita a rotina do motorista, gerando menos estresse no trânsito, ampliando as possibilidades de direção segura e preventiva.

Na cidade de Curitiba-PR, por exemplo, novidades estão em estudo. A Prefeitura divulgou que uma parceria com a Renault está em análise para viabilizar a compra de carros elétricos para a cidade, no modelo de compartilhamento.

Tecnologia Funcional e a Centripetal Blue


Em 2017, no concurso de Design Automotive Brand Contest, a BASF foi premiada nas categorias “Conceitos” e “Inovação do Ano”. A alemã desenvolveu uma tecnologia de tintas funcionais automotivas. O sistema de tinta específico possui um basecoat (argamassa monocomponente à base de cimento modificada com polímeros e fibras) permeável a raios UV e um primer que reflete raios UV. Essa combinação reduz a temperatura da superfície do veículo, resultando em menor aquecimento do interior. Além desse sistema aumentar o conforto, ele reduz o consumo de combustível, aumentando a autonomia dos veículos elétricos.

Outra inovação trazida pela BASF é a Centripetal Blue, uma tinta escura mais visível ao sistema de visão LIDAR, utilizado em carros autônomos. Para isso, a marca resolveu criar uma tinta sem o pigmento de carbono negro, associado a um sub-revestimento incolor com alta capacidade reflexiva. Dessa forma, o automóvel mantém sua cor escura e, ao mesmo tempo, reflete o infravermelho emitido pelo sistema LIDAR.

Hyundai e o BotRide


Uma frota de crossovers elétricos e autônomos da Hyundai Kona, equipados com um sistema autônomo da startup autônoma chinesa Pony.ai e a plataforma de carona da Via, começaram a transportar clientes nas vias públicas de Irvine, Califórnia.

O objetivo do projeto é que os passageiros possam solicitar um carro autônomo via aplicativo e que o automóvel vá até o passageiro. No entanto, os testes estão sendo realizados com motorista de segurança. Os testes estão sendo feitos em diversas áreas residenciais e comerciais. O BotRide serve de exemplo de como as cidades e as empresas podem se unir a fim de possibilitar transportes do futuro. Outras empresas automobilísticas, como a Tesla, Toyota e Ford estão investindo em carros autônomos. A Toyota, por exemplo, planeja testar veículos com sistemas autônomos já nas Olimpíadas de 2020.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você