[ editar artigo]

Moda sustentável é possível? (Vídeo Exclusivo)

Moda sustentável é possível? (Vídeo Exclusivo)

O empreendedorismo sustentável no mercado da moda é cada dia mais aderente. Para quem investe no ramo é uma forma de driblar uma economia escassa de emprego e oferecer ao consumidor produtos compartilhados.

Os brechós existem há décadas, mas a sua reinvenção nos últimos 10 anos, com produtos selecionados e moda alternativa, deram um novo sentido ao segmento. Os empreendimentos passaram a ter itens antigos e únicos, que ainda são bastante procurados, mas principalmente reutilizar produtos mais caros, como marcas famosas da moda e matérias-primas diferenciadas, que muitas vezes saem dos closets da hight society com apenas uma usada e são revendidos com valores competitivos. Inclusive, o reuso é uma das maneiras encontradas pelos amantes da moda para contribuir com a saúde do mundo, já que a indústria da moda é a segunda que mais possui no planeta.

Já para quem compra, é uma forma de adquirir roupas e acessórios de grife com precinhos honestos e garimpar itens quase que únicos de coleções das marcas mais cool do mercado da moda nacional e internacional. Além do mais, várias marcas fazem coleções temáticas que possuem poucas peças à venda, justamente para fazer girar o mercado, que no Brasil possui cerca de 29 mil empresas formais (maio de 2018).

 

Moda sustentável: Case

Esse garimpo hoje é realizado de forma bastante estratégica por uma marca curitibana, que virou exemplo e um ícone dos brechós de luxo no país. A Troc existe desde dezembro de 2016 e oferece ao consumidor produtos da moda com qualidade e escolhidos a dedo. A cofundadora, Luana Toniolo Domakoski, conta que em questão de dias consegue peças de apresentadoras e personalidades. Mas o diferencial pra ela não é apenas saber escolher produtos de desejo. O que vem transformando a marca e a empresa no país é uma série de qualidades empreendedoras que ultrapassam o amor pela moda. Além disso, a Troc utiliza muitas as redes sociais e o e-commerce com afinco.

 

Moda sustentável: Dicas

Luana explica que deixou a profissão de advogada para empreender no segmento da moda, mas desde o início ela procurou desempenhar o trabalho com planejamento, foco, persistência, resiliência e cabeça aberta. Entretanto, a sua dica de ouro é descansar nas suas decisões e saber que toda atitude tem um risco. O importante é perseguir esse equilíbrio e fazer o seu melhor conforme suas possibilidades.

Ela fala que muitas vezes procurou desenvolver mais atitudes sustentáveis que se tornaram inviáveis. Com isso, ela aprendeu que nem tudo é possível ser feito, mas se o empreender buscar uma das formas de sair da inércia para o consumo consciente, já estará fazendo esse movimento de troca e se moldando para uma transformação. Mesmo que a realidade esteja longe do ideal é importante começar. A empreendedora conta que vem buscando o estado de Flow - uma teoria da psicologia positiva que diz que o comportamento flow (plenitude) acontece quando a pessoa conquista o equilíbrio entre suas habilidades e seus desafios.      

Moda sustentável: lojas com personalidade

Outro exemplo de brechó que vem construindo uma história no consumo consciente local é a Crescendo e Vendendo, com duas lojas em Curitiba. A marca comercializa itens seminovos e começou com o segmento infantil. Entretanto, possui também moda gestante e adulta. O local investe no espaço para vendas físicas e possui espaço kids. Serve ainda de mediando para a doação de itens que não estão em condições de comercialização ou fogem do perfil da loja para hospitais, orfanatos e comunidades carentes. Há clientes que dizem que roupas de bebe não deveriam nem serem compradas, pelo pouco tempo de uso e alto custo dos produtos novos.


O nosso terceiro case é o Roupa Velha com Bossa Nova. Um exemplo de carisma, bom humor e humanização, o brechó que uniu moda e Bossa Nova está em várias redes sociais com fotos bacanudas. Além de validarem e promoverem o upcycling, as sócias também customizam peças, dando um novo sentido ao item.

E você, já aderiu ao consumo consciente e à moda sustentável? Compartilhe suas experiências e nos ajude a conhecer mais projetos e empresas de fomentam boas ações! 

 

Comunidade Sebrae
Suzane Marie
Suzane Marie Seguir

Sou jornalista, MEI e gerente de comunidades da Comunidade Sebrae!

Ler matéria completa
Indicados para você