[ editar artigo]

Podcast e o impacto no consumo de áudio no Brasil

Podcast e o impacto no consumo de áudio no Brasil

Consolidado como uma mídia de nicho, o podcast tem conquistado cada vez mais o público brasileiro, não somente por causa do maior acesso aos smartphones e à internet, mas também por conta de uma rotina cada vez mais agitada e compromissada, onde temos menos tempo para fazer as coisas e mais conteúdo para absorver.

O podcast nada mais é que um rádio, porém, diferentemente deste meio de comunicação que é feita por satélite, que tem restrições de programação e precisa considerar a hora do rush, o podcast é inteiramente online, podendo ser acessada a qualquer momento e em qualquer lugar, via download ou via streaming (ao vivo).

Uma das vantagens dessa mídia é a portabilidade e facilidade de consumo, onde você pode aproveitar o tempo para escutar o conteúdo enquanto faz outras atividades, como por exemplo, durante a academia, enquanto dirige ou até mesmo, enquanto lava a louça. 

O que mais atrai o público ouvinte de podcasts é a liberdade de escolher a programação que mais interessar, uma vez que, existem diversos tipos de conteúdo disponíveis, como os de entretenimento, educacionais, notícias, bate-papo, entre outros.

O perfil dos ouvintes

Segundo pesquisas realizadas pela Associação Brasileira de Podcasters (ABPod), cerca de 40% do público brasileiro, ou seja, mais de 50 milhões de pessoas já escutaram algum programa de áudio pela internet. Ainda de acordo com a pesquisa, jovens do sexo masculino, integrantes das classes A e B são os principais interessados nessa mídia, além disso, o levantamento revelou que 19% do total dos entrevistados ouvem podcasts ao menos três vezes na semana.

A pesquisa qualitativa sobre os hábitos e preferências dos ouvintes apresentou também, que o público prefere ouvir podcasts enquanto fazem outras atividades e que a preferência é por episódios mais curtos e objetivos, onde cerca de 79% das pessoas consomem podcasts enquanto estão no trânsito e 68% quando estão fazendo atividades domésticas. Com mais de dois mil programas de podcasts ativos no Brasil, confirmamos que a mídia está se consolidando cada vez mais como formato de informação, entretenimento e educação.

Podcast e a publicidade

Hoje, além dos produtores independentes, grandes players tradicionais de mídia também estão adotando o formato. O poder de engajamento de um novo programa depende de como o ouvinte entenderá a sequência dos fatos, de como aprenderá algo novo e o mais importante, o público escuta o podcast pela companhia, ou seja, quando você escuta um bate-papo é como se você estivesse lá também.

A publicidade por meio de podcasts podem ser feitas por meio de spots de áudio, testemunhais, programa temático e programa do cliente. Os spots de áudio são 30 segundos de propaganda, inseridos de forma dinâmica antes, durante ou depois dos programas. Já o testemunhal é o formato mais comum que é gravado pelos próprios locutores do programa. O programa temático é feito inteiro com base em um tema passado direto pelo anunciante. E, por fim, o programa do cliente é quando a própria marca faz seu próprio conteúdo em podcast, disponibilizando-o em seus meios digitais.

Podcasts brasileiros

Os primeiros podcasts brasileiros lembravam os programas ao vivo de rádio, pois tinham pouca ou nenhuma edição. Em 2004, surgiu o primeiro podcast brasileiro, criado pelo Danilo Medeiros. Já em 2006, surgiu o “Nerdcast” que até hoje é um dos programas mais ouvidos do país e serve como base para a produção de muitos outros podcasts, eles abordam diversos temas do ponto de vista “nerd”, sempre com humor e informalidade.

Para garantir a inserção de publicidade,  a maioria dos podcasts possuem como suporte um blog. Com isso, a podosfera brasileira possui diversas iniciativas de suporte mútuo. Por exemplo, é comum podcasters participarem de programas de outras pessoas, ou seja, além de trocarem informações sobre diversos assuntos, fazem divulgação de seus próprios programas.

Atualmente, existem podcasts de diversos formatos, temas e estilos que priorizam a qualidade de edição e do conteúdo. Com isso, a podosfera brasileira se tornou efetiva e a cada dia os podcasts estão ganhando uma “cara própria”.

Hoje, os podcasts possuem edições e tratamento de áudio muito mais elaborados. Além disso, outro motivo para o crescimento dessa mídia de nicho é o fator econômico. Por exemplo, a produção de um podcast é muito mais barata do que a produção de um programa de TV. Como vimos, o podcast tem muita potencialidade no Brasil, o que torna ainda mais necessário para as empresas estarem presente nesse novo formato de comunicação.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você