[ editar artigo]

Espaços inteligentes centrados nas pessoas são tendência dominante nos negócios em 2020

Uma das tarefas mais difíceis nestes tempos de mudanças hiper-aceleradas é fazer precisas previsões sobre o futuro. O desenvolvimento tecnológico proporciona uma ampla gama de benefícios para a sociedade, mas, entretanto, nos cobra um pedágio – que é o de não saber o amanhã.

O preço não é barato. Afinal, a todo o momento, CEO´s, CTO´s e outros profissionais com poder decisório precisam escolher em quais tecnologias irão alocar seus recursos. Dada a gravidade de uma decisão equivocada, que pode até mesmo inviabilizar o negócio, não há muito como deixar de lado análises de estudos sobre futuro.

Entre os futuristas vale citar Rohit Bhargava, famoso especialista em inovação e marketing, costuma dizer que previsões muito distantes são imprecisas ou inúteis, razão pela qual prefere publicar relatórios sobre tendências anuais. São os já famosos “Non Obvious” – textos em que analisa as tendências tecnológicas, comportamentais, de mídias e marketing.  

No campo da tecnologia da informação, que é o que aqui nos interessa de forma mais aprofundada, a Gartner tem produzido também excelentes trabalhos anuais sobre o impacto do desenvolvimento tecnológico sobre a sociedade. O mais recente é o relatório “As 10 principais tendências estratégicas de tecnologia para 2020”, que apresenta uma relevante visão sobre as profundas transformações que estão alterando a indústria e o impacto sobre a vida das pessoas, mercados e cidades.

O relatório da Gartner traz como fundamento a ideia de que o futuro imediato será tomado por tecnologias aplicadas a espaços inteligentes centrados nas pessoas. Por espaço inteligente, a consultoria entende o ambiente físico em que humanos e sistemas de informação interagem de forma conectada e coordenada. O espaço inteligente, portanto, é uma rede composta de vários elementos – pessoas, processos, serviços, softwares – reunidos com o objetivo de criar uma experiência imersiva e automatizada para um determinado público. Ele é compreendido como centrado nas pessoas justamente por ter como preocupação a qualidade de relacionamento e experiência que as tecnologias podem oferecer.

Com base nesse conceito-chave, a Gartner desenvolveu o relatório que traz as dez tendências que considera estratégicas para este ano. Cinco delas, ocupam-se do aspecto relativo a posicionar as pessoas no centro das preocupações dos desenvolvedores: hiper-automação, multiexperiência, democratização, “humanos aumentados” e transparência e rastreabilidade. As outras cinco tratam de espaços inteligentes: computação em nuvem distribuída, “coisas autônomas”, “blockchain prático”, inteligência artificial segura e a tal da “borda fortalecida”, pela qual os espaços estarão cada vez mais impregnados e de sensores e dispositivos de IoT conectando pessoas e serviços.

Como a intenção aqui não é as definir uma a uma, vamos apresentar apenas as primeiras duas. A hiper-automação como tendência significa que será cada vez mais possível automatizar tarefas complexas e de alto nível cognitivo. Em termos tecnológicos, trata do uso do aprendizado de máquina múltiplo, combinado com softwares e ferramentas de automação, a fim de ampliar as possibilidades de automação de tarefas. A Gartner considera que Automação de Processo Robótico (RPA) e Conjuntos inteligentes de gerenciamento de processos de negócios (iBPMS´s) irão cada vez amais ser implantados juntos, permitindo o desenvolvimento de aplicações cada vez mais complexas.

A segunda tendência, que trata da multiexperiência, refere-se ao uso de diversas tecnologias, como realidade virtual, realidade aumentada e realidade mista, que será cada vez mais presente e irá permitir uma experiência multissensorial que irá se tornar ao longo desta década cada vez mais imersiva. A multiexperiência tem significativo impacto no setor de entretenimento, marketing e educação e, segundo a Gartner, deve continuar a se desenvolver de forma substancial nos próximos.

O relatório da Gartner é um tema instigante que certamente merece ser apresentado de forma detalhada e discutido junto com a comunidade de negócios de tecnologia do estado. Caso você queira mais sobre como essas e outras tendências vão impactar 2020 e além, vale a pena ir conferir a palestra As 10 Estratégias de Tecnologia para Negócios Digitais, que acontece no próximo dia 19 de fevereiro, das 8h às 9h30, no Sebrae. O evento faz parte da comunidade de relacionamento com empresas de tecnologia da informação do Sebrae-PR, que vem contribuindo para dinamizar o relacionamento dos profissionais da área. Vale a pena ir compartilhar e discutir ideias sobre como vamos construir juntos o futuro em terras paranaenses.

Tecnologia e Negócios Digitais

TAGS

tendencias

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você