[ editar artigo]

GASTOS EM PRIVACIDADE: despesa ou investimento?

GASTOS EM PRIVACIDADE: despesa ou investimento?

E aí a LGPD entra em vigor e as empresas se veem (obrigadas) a implementar um Programa de Privacidade e Proteção de Dados. Calma!

Há sim muito a ser feito, e nem sempre é tão barato como desejamos, mas para além de uma obrigação legal, a implementação de um Programa adequado deve ser visto como um investimento.

O estudo comparativo de privacidade de dados - Cisco 2020 demonstrou que, além de atenderem aos requisitos de conformidade, a privacidade eficiente é realmente vantajosa para a empresa e os indivíduos. Esse estudo é um dos primeiros a estimar os retornos de privacidade para empresas em escala global.

A pesquisa explorou e quantificou os gastos e benefícios de privacidade para determinar o ROI da privacidade, avaliou o impacto da responsabilidade de privacidade das empresas e considerou a importância das certificações de privacidade no processo de seleção do fornecedor.


• A maioria das empresas está com retornos muito positivos sobre seus investimentos em privacidade, e mais de 40% percebem o dobro de benefícios em relação ao gasto de privacidade.

• Usando a "Roda de responsabilidade" criada pela Centre for Information Policy Leadership (CIPL), encontramos fortes correlações entre a responsabilidade de privacidade das empresas e os custos de violação mais baixos, menores atrasos de vendas e mais retornos financeiros.

• O percentual de empresas que afirma receber benefícios comerciais significativos devido à privacidade (por exemplo, eficiência operacional, agilidade e inovação) cresceu para mais de 70%.

• A grande maioria (82%) das empresas considera as certificações de privacidade como o ISO 27701 e o Privacy Shield como um fator de compra ao selecionar um produto ou fornecedor na cadeia de fornecimento.


Para desenvolver uma compreensão básica dos investimentos em privacidade das empresas, a pesquisa perguntou aos entrevistados sobre o valor dos gastos anuais totais em privacidade. Para todos os entrevistados, o gasto médio de privacidade anual era de US$ 1,2 milhões e variava significativamente de acordo com o tamanho da empresa. Entre as grandes empresas (10.000 ou mais funcionários), o gasto médio era de US$ 1,9 milhões e 2% dessas empresas gastavam mais de Us$ 5 milhões. No outro extremo do espectro, o gasto médio de privacidade de pequenas empresas (250 a 499 funcionários) era de US$ 800 mil e 41% delas gastaram menos de US$ 500 mil. (Consulte a Figura 1).

Por algum tempo, o regulamento de privacidade europeu tem sido um importante promotor de proteção de dados para as empresas, além disso, há o incentivo das multas e penalidades. No entanto, com base em conversas com clientes e pesquisa de privacidade nos últimos três anos, acredita-se que um valor ainda maior vem de benefícios empresariais, além da conformidade. Para avaliar esse valor, a pesquisa perguntou aos entrevistados quais tipos de benefícios (se houver) eles percebem em áreas como eficiência operacional, menores violações de dados e cada vez menos dispendiosas, atrasos de vendas reduzidos, melhor fidelidade e confiança do cliente etc. Uma grande maioria (geralmente mais de 70%) indicou que percebem benefícios "significativos" ou "muito significativos" em cada uma dessas áreas. (Veja a Figura 2).

 

 

E agora, prontos para responder se é despesa ou investimento?

 

 


Fonte: https://www.cisco.com/c/dam/global/pt_br/solutions/pdfs/2020-data-privacy-report-ptbr.pdf

Tecnologia e Negócios Digitais

Comunidade Sebrae
Laura Carvalhal
Laura Carvalhal Seguir

Me. em Direito pela UFSC. Esp. em Direito Digital e Compliance. Adv. nas áreas cível e empresarial, desde 2007. Prof. universitária desde 2009. Associada IAPP e Certificada EXIN DPO. Consultoria em Programas de Compliance LGPD, GDPR.

Ler conteúdo completo
Indicados para você