[ editar artigo]

O trabalho dos tempos da pandemia

O trabalho dos tempos da pandemia

O coronavírus e seus pandêmicos efeitos estão impactando o setor de tecnologia e negócios digitais, causando alterações nas relações de trabalho, o modo de organização do trabalho e o comportamento de empreendedores e colaboradores. 

A severa perda de receitas em boa parte do mercado por conta do isolamento social, levou o governo federal a publicar a Medida Provisória 936 no dia 1º de abril, que entre outras coisas implementa o Programa Emergencial de Manutenção de Emprego e Renda, para enfrentar o estado de calamidade pública em que o país se encontra. A fim de preservar empregos, a MP 936 autoriza a redução de salários e jornada de trabalhadores por até 90 dias. Permite a suspensão temporária de contrato de trabalho. Medidas que contam com compensação parcial das perdas de remuneração a serem pagas pelo governo federal.

Importante mencionar que a MP 936 determina que quando medidas de redução de jornada ou suspensão de trabalho forem adotadas, as empresas devem garantir o funcionamento de serviços públicos e atividades essenciais. Um guia completo sobre o assunto você pode encontrar em:

https://www.sebrae.com.br/sites/PortalSebrae/artigos/perguntas-e-respostas-sobre-a-mp-936-manutencao-do-emprego-e-renda,8b204d029c551710VgnVCM1000004c00210aRCRD.

Home Office

Além do impacto econômico que está abalando os mercados, a pandemia tem forçado uma mudança, ainda que temporária, para o uso do trabalho remoto, também conhecido como “teletrabalho” ou “home office”. Por meio dessa modalidade de prestação de serviço, um trabalhador pode cumprir com suas atividades em local diverso ao que funciona a empresa em que trabalha. Antes da reforma trabalhista realizada em 2017 formalizar a prática, a CLT já mencionava o trabalho remoto no art. 6º. Ou seja, de acordo com a legislação trabalhista, ao estar em home office, os direitos são os mesmos daqueles que trabalhadores que exercem suas atividades nas dependências da empresa.

Importante mencionar, entretanto, que neste momento de pandemia, o trabalho remoto tem como característica ser eventual, com funcionários que até então trabalham dentro da empresa, sendo forçados pelas circunstâncias a fazer home office. Grande parte das organizações vem adotando essa prática, a fim de evitar um contágio maciço nos locais de trabalho. Além disso especial atenção deve ser dada pelas empresas a pessoas em grupo de riscos, em especial idosos ou que possuam alguns tipos de doenças, entre elas, diabetes e doenças cardíacas. No regime de home office, os funcionários cumprindo com suas atividades com a mesma carga horária, sem, entretanto, precisar comparecer à empresa.

O mais complicado para parte das pessoas que estão em trabalho remoto eventual por causa da pandemia, contudo, é conseguir equilibrar as atividades laborais com as domésticas. Não por que falta sejam indisciplinadas e trabalhem menos horas que o estabelecido em contrato. Mas por acabarem passando muito mais tempo desenvolvendo suas atividades laborais que quando estão nas sedes das empresas.

Talvez isso seja apenas uma impressão daqueles que estão pela primeira vez fazendo home office, talvez seja verdade. Porém, tem sido a percepção de parte das pessoas que agora estão em regime de teletrabalho, forçadas pelo coronavírus. Isso, apesar de haver quem reclame dos excessos de atenção que filhos têm requerido. Ou dos cuidados necessários para trabalhar e cuidar dos animais de estimação. Pode-se encontrar isso tudo, é óbvio, nesses tempos de isolamento, nas redes sociais. 

Tecnologia e Negócios Digitais

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você