[ editar artigo]

A corrente digital já é mais forte do que nós

A corrente digital já é mais forte do que nós

A transformação digital chegou na educação

E saber lidar com ela não é mais um diferencial – é questão de sobrevivência.

Se você é educador – professor, instrutor, facilitador, como prefira – é bem provável que você já tenha tido dificuldades de manter a atenção e o engajamento da sua turma durante uma aula presencial.

Quando lidamos com grupos, estamos lidando com histórias complexas. Pessoas com interesses diferentes, com vontades diferentes, com medos, preocupações, e mil e uma coisas passando pela cabeça e competindo com nossa atenção enquanto nós estamos lá, à frente da sala, dando nosso melhor para transmitir um conhecimento que sabemos que é importante e valioso – afinal é o que nos fez estar ali desde o início.

Mas, mesmo no presencial, será que já conseguíamos prender a atenção de uma turma ao tema durante todo o período necessário?

Quantas ideias, mensagens e conversas paralelas aconteciam ao mesmo tempo em que nossas vozes e ideias eram expressas em nossa melhor intenção?

Avance 10 casas e chegamos ao presente, mais rápido do que esperávamos – e que muitos de nós estávamos preparados.

Uma realidade completamente digital, em que absolutamente tudo pode ser feito através de um celular ou computador: trabalhar, estudar, ler, conversar, flertar, distrair-se (infinitamente), "cozinhar" (pedir comida por APPs), pagar contas, socializar...

Não podemos mais lutar contra.

Nós mesmos, enquanto educadores, também nos encontramos nessa realidade, em maior ou menor grau, dependendo do quanto gostamos de e utilizamos tais ferramentas. Também estamos mais distraídos, mais estimulados visual e auditivamente com notificações, mensagens e sinais constantes solicitando nossa resposta e atenção.

Neste contexto, a necessidade fez o mercado (e nós) corrermos contra o tempo para encontrar soluções. O aprendizado continua relevante, os temas que temos a ensinar continuam fundamentais para a construção do conhecimento e da preparação dos nossos alunos para desafios reais do mercado.

Mas agora, os estímulos competindo pela atenção das nossas turmas são ainda mais presentes – e ainda mais longe do nosso alcance, da nossa proibição ou limitação.

Se entendemos a importância do nosso trabalho e estamos firmes na sua boa realização, precisamos mergulhar neste universo e fazer o melhor uso dele que pudermos. A resistência, nesta altura do campeonato, só gera mais atrito e afasta nosso público da nossa mensagem.

E o que não se conhece, não se muda nem se impacta.

Se quisermos nos manter relevantes e fortes enquanto educadores, precisamos expandir nosso próprio conhecimento sobre ferramentas, técnicas e boas práticas de engajamento digital que outros mercados utilizam para captar a atenção do nosso público.

É hora de parar de remar contra a corrente e começar a utilizá-la a nosso favor para que nossa missão possa ser cumprida.

Marketing Digital

Comunidade Sebrae
Dario Kosugi
Dario Kosugi Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você