[ editar artigo]

Cibercultura: A nova linguagem do consumo

Cibercultura: A nova linguagem do consumo

A cibercultura é uma nova maneira de compreender as relações tecnológicas que se estabelecem na sociedade. Ela é um espaço de comunicação, uma migração do mundo real para o imaginário, possibilitando aos indivíduos uma gama infinita de criação e recriação do seu próprio espaço social. Por meio dela se vincula uma visão de mundo interrelacionada com a realidade atual e com o fenômeno da comunicação digital.

Pode-se dizer que a cibercultura é um meio de entretenimento, debates, trocas de informações, crescimento humano e intelectual, uma vez que não delimita o saber e tão pouco as formas como esse saber pode ser explorado.

“Cibercultura é o conjunto de técnicas (materiais e intelectuais), de práticas, de atitudes, de modos de pensamentos e de valores que se desenvolvem juntamente com o ciberespaço”.

                                  Pierre Lévy

Linguagem da cibercultura

Uma das vantagens que a cibercultura trouxe foi a linguagem multimídia, ou seja, a convergência das múltiplas linguagens em uma só e não todas juntas ao mesmo tempo, possibilitando a escolha e convergindo para um mesmo conteúdo.

Essa integração entre as várias formas de mídias, promovem uma convergência entre elas, podendo ser textuais, gráficas, digitais, de animação ou áudio funcionando de forma intercalada entre a mídia estática (fotografia, texto ou gráfico) e uma mídia interativa (áudio, vídeo ou animação).

No ambiente digital, os projetos utilizam softwares, linguagens computacionais e de internet a fim de buscar a interação multissensorial dos sentidos humanos. Ou seja, a linguagem na cibercultura é um importante objeto de estudo para o entendimento do ser humano.

A comunicação nesse espaço possui características singulares, uma vez que ela requer aprendizado de capacidades para compreender o uso de funções, soluções criativas e gírias virais. Além disso, ela estimula a criação de ferramentas como a necessidade de indexar conteúdos gerados devido à elevada quantidade de informações produzidas neste ambiente.

Além disso, podemos utilizar o sentido de convergência para destacar as modificações na linguagem propostas pela cibercultura. Por exemplo, as cartas foram substituídas pelo e-mail, o telefone pelas mensagens de texto/voz e a foto pela imagem digital. Contudo, a estrutura de criação e compartilhamento desses recursos permanece. Por outro lado, não podemos esquecer os recursos tecnológicos e a interação direta, em tempo real, e a facilidade na produção, acessibilidade e envio de informações.

Esse hibridismo é o ponto-chave da cibercultura, pois podemos percebê-lo na relação das pessoas com seus smartphones, que passou de ser uma necessidade e se transformou em uma dependência.

Importância da Cibercultura

A cibercultura transforma a relação das pessoas com a tecnologia, por meios que facilitam a vida cotidiana e economizam tempo, como por exemplo para o pagamento de contas, as diversas relações comerciais que se estabelecem, troca de informações, relações interpessoais etc. Podemos dizer que a cibercultura é uma interação social com a digital e as tribos que a partir dela se formam, que vão definindo o perfil da geração atual e as tendências que acompanham o desenvolvimento da humanidade, seja no âmbito político, econômico ou cultural.

Com isso, surgiu o ciberespaço, um espaço de comunicação que descarta a necessidade do homem físico para constituir a comunicação como fonte de reconhecimento, dando ênfase ao ato da imaginação, necessária para a criação de uma imagem anônima, que terá convergência com os demais.

E o que isso muda na comunicação?

 

Na comunicação, o modelo convencional de consumo de mídia, que era dirigida por um anunciante ou agência de comunicação por meio de um comercial veiculado em um meio de comunicação de massa ou mídia dirigida ao consumidor, mudou.

Hoje, a comunicação é uma via de mão dupla entre a mídia e o consumidor, gerando a economia de atenção e a mudança do poder .

Nesse contexto, surgiram diferentes tipos de consumidores, formando o consumidor social. Esse novo consumidor utiliza novos canais online e novas ferramentas de comunicação, procurando suporte para se conectar a pessoas parecidas ou que têm as mesmas ideias. Além disso, ele é bem informado e mais crítico, passando a publicar suas opiniões nas redes sociais. Ele opina sobre como um produto deveria ser e como são as plataformas de suporte ao cliente. Dessa forma, o consumidor social tende a confiar em recomendações feitas online por amigos reais, virtuais ou de estranhos. As compras também passam a ser realizadas mais no online, pois eles esperam um novo tipo de experiência com a sua marca tanto offline quanto online.

Em resumo, a cibercultura popularizou o uso da Tecnologia da Informação e a forma dos consumidores se conectarem, uma vez que estão inclusos no meio digital com novas motivações de consumo, diferentes atitudes em relação aos produtos e novos processos 

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você