[ editar artigo]

[Conteúdo com vídeo] Mudanças do perfil demográfico de cada rede

[Conteúdo com vídeo] Mudanças do perfil demográfico de cada rede

Atualmente, estão ocorrendo mudanças no perfil demográfico dos usuários de diferentes redes sociais. No Brasil, o uso da internet não para de crescer. De acordo com o IBGE, o público digital tem dez milhões de novos usuários ao ano. No ranking mundial, o país ocupa o quarto lugar em uso da internet, perdendo apenas para China, Índia e Estados Unidos.

Para as marcas que desejam se aproximar do público, investir em uma comunicação mais próxima por meio do marketing de conteúdo é uma grande oportunidade.

Redes Sociais mais acessadas pelos brasileiros

Em 1º lugar está o YouTube, com 60% de acesso. Já 59% dos brasileiros acessam o Facebook, 56% o WhatsApp e 40% preferem o Instagram. As mídias digitais assumiram um papel fundamental nas estratégias de marketing das empresas. Estima-se que 29% das pessoas compram um produto que visualizaram primeiro na internet. Isso mostra que as redes sociais se tornaram a mídia de maior impacto, possuindo mais eficiência na venda de produtos e ideias. 

O Facebook é uma das redes com o maior número de brasileiros. Dos 130 milhões de usuários dessa rede, 92% navegam por meio de dispositivos móveis. Por isso, ter um site “mobile friendly” é importante para o seu negócio.

Perfil demográfico de cada público

De acordo com o relatório Digital 2019 Brazil, realizado pela Hootsuite e We Are Social, a maior distribuição etária do público está entre os 18 e 44 anos. Antes da sua empresa realizar uma campanha é preciso ter em mente que a faixa etária está mudando rapidamente. Para focar em estratégias que visam apenas os millenials saiba que a terceira idade está cada vez mais conectada. O público idoso é um dos que mais cresce entre os usuários da internet.

Outro dado curioso é que cada rede social apresenta um gênero predominante. Ainda de acordo com a pesquisa, o público feminino lidera no Facebook, Instagram e Snapchat, enquanto que o público masculino está mais presente no Twitter e LinkedIn.

Engajamento feminino

Nota-se que as mulheres são mais ativas nas redes sociais, ou seja, o público feminino é mais engajado online que o masculino em diversos fatores. Segundo o Digital 2019 Brazil, as mulheres curtem o dobro de páginas, compartilham três vezes mais, clicam 64% mais em anúncios, fazem o triplo de comentários e curtem 65% mais posts. Como o público feminino é o maior decisor de compras no Brasil, essas estatísticas são uma excelente notícia para as marcas investirem.

Geração 6.0: Idosos cada vez mais conectados

Um levantamento realizado pela TIM mostra que o público idoso está cada vez mais conectado. De acordo com a pesquisa, 64% dos clientes acima dos 60 anos acessam a internet pelo celular. Outro dado muito importante é que a preferência pelo YouTube no lugar do WhatsApp comprova o aumento do consumo de conteúdo audiovisual. Entre os respondentes, o Facebook segue na liderança com quase 100% de aderência seguido do YouTube (96%) e, em terceiro lugar está a pesquisa no Google (95,3%). Isso mostra que o público da terceira idade está ganhando mais autonomia na web, uma vez que utilizam os dados para comunicação, visualização de vídeos e busca de informações. A tendência é que os idosos estão começando a considerar a plataforma de compartilhamento de vídeos uma alternativa à televisão.

Além disso, a Geração 6.0 está dizendo adeus até mesmo às filas dos bancos. De acordo com a pesquisa realizada pela operadora, 43% dos clientes da terceira idade utilizam o Internet Banking para realizar transações financeiras. Isso demonstra que os serviços digitais estão ganhando cada vez mais espaço, credibilidade e aceitação do público sênior. Essa mudança traz vantagens para essa geração, pois fazer pagamentos e transferências online garante mais comodidade, conveniência e otimização de tempo aos consumidores.

Dados complementares

Dados complementares da Pnad Contínua, realizada pelo IBGE, mostra como cada região do país está conectada. De acordo com o levantamento, 72,3% dos habitantes do Sudeste estão conectados. Em seguida estão o Centro-Oeste (71,8%), Sul (67,9%), Nordeste (52,3%) e Norte (54,3%). Já o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) mapeou que 70% dos moradores das cidades usam a internet e apenas 44% dos usuários estão nas áreas rurais. Além disso, 90% das pessoas das classes A e B estão conectadas, enquanto que 42% dos usuários pertencem às classes D e E.

Porém, mesmo que 90% dos usuários online pertençam às classes A e B, o número de pessoas das classes D e E na web é maior, uma vez que representam 30,79 milhões de pessoas conectadas. Por isso, é preciso entender o contexto em que os dados estão inseridos.

Em resumo, não podemos restringir a comunicação a uma bolha de faixa etária, gênero ou classe econômica. Precisamos também levar em consideração a pluralidade da população brasileira e focar em estratégias de acordo com o público a ser atingido.

 

Marketing Digital

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você