[ editar artigo]

Central de Negócios no Varejo: Quais os Benefícios e Desafios?

Central de Negócios no Varejo: Quais os Benefícios e Desafios?

O ditado “a união faz a força” pode soar batido, mas não deixa de ser verdadeiro - e especialmente válido quando se fala em objetivos comerciais. É pensando nas vantagens do trabalho em equipe que muitos empresários das mais diversas áreas (incluindo, claro, o varejo) se reúnem em centrais de negócio.

O que são centrais de negócios?

De maneira resumida, uma central de negócios é a união de empresas (sob a forma de pessoa jurídica ou com a representação de pessoa física) com objetivos em comum mas sem perder a independência e a individualidade de cada empreendimento. Normalmente leva ao aumento do poder de compra, venda e fechamento de negócios.

Existem, a princípio, quatro tipos de centrais de negócios

Associações: podem integrar tanto pessoas físicas como jurídicas, que se juntam sem fins lucrativos. Seus recursos são provenientes de taxas pagas pelos associados, doações, fundos e reservas. A ideia é representar e defender os interesses dos associados e, como não há objetivos comerciais propriamente ditos, sobras de recursos são investidas na própria associação, ou em uma associação de mesma natureza (caso se desfaça).

Cooperativas: diferentemente das associações, têm objetivos essencialmente econômicos. Os cooperados são donos do patrimônio, e o capital é formado por quotas-partes, empréstimos, doações e recursos de processos de capitalização. As decisões são tomadas em assembleia geral (sendo 1 voto por membro, normalmente) e é feito pleno exercício de atividade comercial (venda de produtos ou serviços).

Sociedade Limitada ou Anônima: entidade formada visando o lucro e focando em operações mercantis. Os acionistas (que podem ser tanto pessoas físicas como jurídicas) são proprietários e beneficiários dos ganhos. Ao contrário das associações, possuem capital social, com divisão pautada por quotas e ações. A forma de gestão se baseia em estatuto social, e as responsabilidades dos acionistas variam conforme o valor das ações - já as responsabilidades dos sócios dependem do percentual de participação na sociedade. A tributação é realizada por lucro real, lucro presumido ou simples nacional. Naturalmente, existem diferenças entre Sociedade Limitada e Sociedade Anônima, mas elas não serão abordadas neste artigo.

As vantagens das centrais

Uma central de negócios pode trazer uma série de benefícios para os seus participantes, tais como:

  • Facilitar o diálogo entre empresariado e poder público

  • Valorizar o setor ou a categoria

  • Compartilhar o conhecimento entre os participantes

  • Aumentar o poder de ação dos participantes

Pensando especificamente no varejo, a principal vantagem de uma central de negócios é dar aos participantes maior poder de barganha diante dos fornecedores - tanto em termos de preço como de frete.

De modo geral, pedidos maiores possibilitam maior margem de negociação. Se for possível centralizar o frete, o custo global tende a diminuir. É por isso que muitas centrais de negócios possuem centros de distribuição (a entrega é feita nestes centros, e os associados buscam por conta própria suas partes do pedido).

Ainda em relação a preço, uma central de negócios pode conseguir melhores condições de compra, negociando o número de parcelas e possivelmente diminuindo os juros do parcelamento.

Como acordos com associações tendem a ser especialmente valiosos para os fornecedores, a certeza de que o pedido será de fato entregue é maior.

Dito isso, os benefícios das centrais de negócios ficam evidentes, mas é importante tomar um cuidado: ao se associar com outras empresas, busque parceiros de porte similar e (obviamente) que não sejam seus concorrentes diretos. A questão do frete também deve ser alinhada com prudência, para que as aquisições sejam vantajosas para todos.

Você participa ou já participou de alguma central de negócios? Ficou com alguma dúvida? Deixe um comentário!

Varejo 🎁

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você