[ editar artigo]

Colaboração para evolução

Colaboração para evolução

    

 

Casa Colaborativa*

Uma casa colaborativa nos remete à união de esforços para um mesmo objetivo, ao compartilhamento de propósitos e visões de futuro. Todos os envolvidos desejam conseguir mostrar seu alinhamento através de seus produtos e serviços e assim deixar seus valores impressos no mundo através de experiências memoráveis.

 

Design Sensorial

Nada mais forte e marcante que trazer esse contexto através de experiências sensoriais que representem esses valores para todos que frequentam o ambiente. Isso pode ser realizado com as técnicas do Sensory Design Methodology, ou seja, um método desenvolvido pela arquiteta e designer Katalin Stammer que aplica Design Sensorial ao ambiente físico, para que todas as sensações sejam despertadas e o bem estar torne a experiência ainda mais memorável.

 ...o conjunto de elementos sensoriais, quando aplicados com propósito a um ambiente, deixam de ser neutros e isolados e passam a propagar emoções, criando vínculos e história com seus usuários...

 Arq. Katalin Stammer

 

O design sensorial é um conjunto de estudos com base na antropologia, neurociência e design sobre os mais de 20 sensores fisiológicos humanos que, quando aplicados ao projeto de interiores, com objetivo específico são capazes de promover sensações e emoções de bem estar e harmonia.

Através desse processo, o projeto desenvolvido para Casulo Casa Colaborativa propõem transmitir através de quatro macro sensações (ACOLHER, PERTENCER, CONECTAR e REFLETIR) os propósitos do espaço, promovendo aos seus usuários uma experiência única, imersiva e expansiva quando falamos de relacionamento e colaboração.

O programa de atividades da casa aproveitou o momento de desenvolvimento de design sensorial para ser reestruturado e ganhou novas funções e dinâmicas para se tornar um espaço ainda mais flexível às mudanças e necessidades dos clientes.

Além da proposta inicial da loja colaborativa aonde são comercializados produtos regionais como artesanatos, livros, cosméticos, roupas, acessórios entre outros itens; a loja passa agora a convidar seus participantes também para uma reflexão de valores e estilos de vida.

                 Figura 1 - Fachada atual Casulo Casa Colaborativa (foto divulgação)

As macro sensações foram distribuídas por todos os ambientes pensando no fluxo de maior impacto dessas intenções. No ambiente da entrada o usuário se depara com um pórtico em madeira que abraça sua chegada, diminuindo a dimensão de pé direito e trazendo a ideia de transição, aonde ele passa a deixar o que trouxe da vida cotidiana e é acolhido para entrar em uma nova realidade de inovação e compartilhamento que irá conhecer nos demais espaços. A vegetação traz vida e o logo da empresa reforça a presença desse convite da marca.

   Figura 2 – Entrada e Recepção (ACOLHER) – frame de vídeo projeto renderizado

Outros ambientes que, inicialmente eram focados em locação para outros segmentos passam a ter uma proposta nova e diferenciada dentro de uma experiência colaborativa e de compartilhamento.

Assim acontece com a sala de reuniões e a sala ateliê que agora passam a ser ambientes com agendas múltiplas e cheias de possibilidades para diferentes funções e atividades reforçando ainda mais o sentido do projeto. A sala de reuniões utiliza a paleta de cores desenvolvida para a marca, trazendo a neutralidade do cinza para ampliar as possibilidades de aplicação do ambiente. Conta com o mobiliário confortável e flexível de mesa, cadeiras e armário, bem como iluminação seguindo a mesma linha.

O adesivo vinílico na parede reforça os valores da marca que também estão alinhadas a comunicação visual e conteúdo do site e redes sociais, fortalecendo uma unidade de comunicação multicanais entre empresa e clientes. O ambiente conta com televisão como suporte para apresentações e demais necessidades.

  

         Figura 3- Sala de Reuniões (REFLETIR) – frame de vídeo projeto renderizado

O ambiente ateliê, por exemplo, pode ser ambiente de aulas, grupos de estudo, locação para professores e/ou empreendedores que precisem de estrutura para desenvolver suas ideias e serviços.

O ambiente é colorido e ao mesmo tempo reflexivo para incentivar as linhas de pensamento desenvolvidas ali, compondo uma paleta diferenciada e repleta de significado. As cores dos ambientes foram pensadas para estimular diferentes sensações.

Cadeiras coloridas incentivando a criatividade e o tom verde das paredes a reflexão. O mobiliário também permite diferentes composições e layouts, sendo facilitados por rodízios encontrados nas mesas por exemplo. Mesas dobráveis junto à área das máquinas também permitem rápida adaptabilidade ao espaço.

A iluminação segue sendo flexível ao layout selecionado conforme a necessidade dos usuários, mas ao mesmo tempo propõem um bom desempenho às atividades manuais que possam vir a ser realizadas quando utilizados como ateliê.

Assim foram pensados todos os espaços da casa tanto na aplicação das cores, funcionalidades, quanto na trajetória desses usuários dentro da setorização de macro sensações e conceitos que as empresárias gostariam que seus clientes sentissem nos ambientes.

  Figura 4- Ateliê multifuncional (REFLETIR) - frame de vídeo projeto renderizado

A casa em si é o cenário e a essência do negócio ao mesmo tempo, ela reforça o conceito em amplas perspectivas e propõem também uma experiência compartilhada de uma casa real que se abre as novas possibilidades. Por isso foi importante manter o layout original dos espaços, apresentando a visão histórica do imóvel que reafirma essa nova proposta.

 A loja é o centro da casa, ela explora os sentidos e experiências de produtos e novas ideias. Para isso recebeu a macro sensação de conectar que está representada desde o mobiliário flexível até o layout dinâmico para receber todas essas inovações e acompanhar esse movimento de diferentes segmentos que estão ali apresentados.

Uma forma de criar interação e deixar os visitantes à vontade para estarem de fato no local e terem tempo e liberdade de interagir com esses produtos. Para a loja também foi proposto uma rádio indoor que além de uma trilha sonora especialmente selecionada, também divulgue as marcas e os eventos que a casa tenha em seu calendário, aproximando ainda mais seu relacionamento com frequentadores: tanto internos, quanto externos.

O balanço é um elemento estético importante e impacta não só no visual mais também na conexão entre casa x loja. Um elemento lúdico que quebra as barreiras criadas pelo espaço comercial. O mobiliário foi especialmente elaborado para representar a loja de modo contemporâneo e sustentável. Também está alinhado as necessidades de movimentação de layout para enfatizar diferentes produtos conforme calendário de promoção de marcas. Displays diferentes foram elaborados prevendo atender com maior ênfase cada marca parceira.

O ambiente físico está a um novo conceito de parceria também desenvolvido com base no design sensorial. Produtos e serviços andam juntos para que pessoas possam sentir a visão, valores, propósitos da marca.

                Figura 5 - Loja (CONECTAR) – frame de vídeo projeto renderizado

A passagem para o corredor é uma brincadeira instigante promovida pelas fitas de cetim que fazem a curiosidade ser despertada para que o trajeto continue e promova novas descobertas. O corredor em si é uma galeria para fotos “instagramáveis” cheia de vida pela composição de plantas e de sua iluminação focada e harmônica.

Figura 6 - Galeria “instagramável” (PERTENCER) – frame de vídeo projeto renderizado

O banheiro é uma outra experiência que com seu histórico de atrair as pessoas para fotos e vídeos nas redes sociais pelo seu caráter vintage foi intensificado pelo contexto dos peixes coloridos na banheira e pelo jardim horizontal criado para contextualizar essa fauna. Esse ambiente está inserido na macro sensação de pertencer e pretende ser um ponto focal de convite ao lúdico, leve e disruptivo.

O barulho da água, o aroma desenvolvido especialmente para a casa, as plantas naturais e estampadas no adesivo do box, o aquário tornam a visita ao espaço um ponto turístico a ser descoberto no imóvel e na cidade. Também algo que rompe barreiras entre a equipe e convidados da casa, gerando conversas, interações, risadas e trazendo vida e alegria à todos, concretizando seu objetivo de gerar a sensação de pertencimento, pois quebra paradigmas e faz com que as pessoas estejam abertas, receptivas e sintam-se parte do local.

             Figura 7 - Banheiro (PERTENCER) – frame de vídeo projeto renderizado

Às descobertas de um imóvel de características brasileiras e regionais que são valorizadas assim como os propósitos do próprio espaço. Também reforça um aspecto importante do projeto que foi o de pensar numa reforma consciente tanto financeiramente quanto em relação à construção e seus impactos na sustentabilidade.

As demais salas são alugadas para outros escritórios e negócios e tem a liberdade de customizar seus ambientes conforme necessidade específica. A cozinha fecha o trajeto proposto fazendo com que as pessoas circulem por toda a casa até chegar no jardim onde encontra-se a estrutura externa que abriga o café, também aberto ao público, e alguns outros serviços e atividades.

A cozinha interna também permanecesse, assim como o banheiro, com os acabamentos originais do imóvel e recebe um mobiliário de linhas limpas e convidativas para que todos realmente se “sintam em casa” para sentar, tomar um café, conversar e até mesmo trabalhar no local, reforçando assim a ideia mais forte de conexão, acolhimento, pertencimento e compartilhamento.

              Figura 8 - Cozinha (PERTENCER) – frame de vídeo projeto renderizado

O projeto de design de interiores que focava na beleza estética ficou no passado. Cada vez mais existe a necessidade de entender o que se quer passar de informações para os usuários. Não se trata mais de marcas vendendo produtos e/ou serviços, e sim de realidades e experiências inspiradoras que façam parte de um propósito maior que mova tanto a empresa quanto seus clientes a um futuro de evolução.

Entender essas particularidades e tornar o novo espaço físico da empresa em uma digital única, que converse com seus clientes, é o propósito desse projeto de Design Sensorial.

 


Depoimento Cliente

"A realização do projeto de design sensorial superou nossas expectativas. A partir de uma construção conjunta, e em um processo rico em diálogo, sentimos que nossas ideias foram ouvidas de forma muito sensível e o resultado não poderia ser diferente, o projeto conseguiu traduzir quem somos em essência e as experiências que queremos proporcionar ao público através do acolhimento, das conexões e do pertencimento. Somos imensamente gratos a Katalin e sua equipe pela troca tão rica, que ampliou nossa percepção sobre nós mesmos e nosso potencial enquanto espaço coletivo."

Tatyla Marques Barreto

Sócia-proprietária


 

Katalin Stammer                                                                                                                                Arquitetura e Design é um escritório com mais de 10 anos de atuação focado em inovação, consultoria, treinamento e design. Conta com uma equipe multidisciplinar para atender projetos de design sensorial e design thinking, que percorrem desde à elaboração de estratégia até o ambiente físico concretizado e decorado, tanto em espaços residenciais quanto coorporativos. Os projetos são desenvolvidos com base na sustentabilidade, funcionalidade, respeitando às particularidades de cada cliente com muito bom gosto para inspirar todos aqueles que estejam envolvidos.

Katalin Stammer

Arquiteta, urbanista (UFPR) e Designer de Móveis (CEFET PR), com intercâmbio na Facultad de Arquitectura, Diseño y Urbanismo - Universidad de la República, Uruguay (FADU - Udelar), possui experiência na área de projetos de interiores comerciais e residenciais com foco em design sensorial, projetos de estratégia corporativa e inovação. Premiada com projetos em mostra de decoração Casa Cor PR e com coordenação de equipe de alunos em concurso tendo como prêmio viagem à feira Isaloni em Milão - Itália. Diretora da Escola Curitibana de Design. Participação como palestrante de eventos como semana acadêmica de Design da UTFPR (Universidade Tecnológica Federal do Paraná), Semana D – Museu Oscar Niemeyer, Congresso Nacional Moveleiro, entre outros eventos. Desde 2009 é sócia-fundadora do Katalin Stammer Arquitetura e Design.

SEBRAETEC – Design Sensorial

O Design Sensorial tem como objetivo oportunizar à empresa o acesso a abordagem sensorial, uma inovadora fronteira de possibilidades e resultados, visando obter um vínculo emocional dos clientes com a marca e fidelização.

Benefícios: Vínculo emocional e afetivo dos clientes com a marca: associações sensoriais positivas; Fidelização e aumento de conversão de vendas; “Viralização” da experiência; Melhoria do desempenho da equipe interna e endomarketing; Aumento de produtividade das equipes de vendas.

 


Ficha técnica

Projeto

Casulo Casa Colaborativa

Responsável: Tatyla Marques Barreto

Ponta Grossa – PR

 


SEBRAETEC

Ficha: Design Sensorial

Gestora: Joslaine Gomes Schimidt

SEBRAE PR – Regional Centro

 


Empresa Credenciada

Katalin Stammer Arquitetura e Design

Responsável técnica: Katalin Stammer

Curitiba - PR


Design Sensorial aplicado a Casulo Casa Colaborativa*

SEBRAETEC Design Sensorial

Katalin Stammer Arquitetura e Design

*Este projeto é assinado por Katalin Stammer Arquitetura e Design, com exclusividade para Casulo Casa Colaborativa através do serviço SEBRAETEC do SEBRAE PR. Proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo. Proibida a comercialização deste material.

Varejo 🎁

Comunidade Sebrae
Katalin Stammer
Katalin Stammer Seguir

Arquiteta, urbanista, designer, diretora da Escola Curitibana de Design e diretora criativa do Katalin Stammer Arquitetura e Design. Possui experiência na área de projetos de interiores com foco em design sensorial, estratégia corporativa e inovação.

Ler conteúdo completo
Indicados para você