[ editar artigo]

Como o MEI pode obter lucro com o empreendedorismo social?

Como o MEI pode obter lucro com o empreendedorismo social?

Diante das preocupações com as causas sociais e ambientais, o empreendedorismo social é um tema que está sendo bastante discutido. Um dos principais desafios enfrentados nesse ramo de atividade é a obtenção de lucro. Porém, o empreendedorismo social é uma forma de mudar a sociedade, contribuindo para o desenvolvimento sustentável.

Segundo o  Nobel da Paz Prof. Muhammad Yunus, o negócio social é uma empresa projetada para atingir o objetivo social dentro do mercado altamente regulado. Ele difere das organizações sem fins lucrativos, uma vez que o negócio deve buscar a geração de lucro modesto a fim de expandir o alcance da empresa e melhorar o produto ou serviço para subsidiar a missão social.

Para o Microempreendedor Individual (MEI), o empreendedorismo social é uma maneira de empreender e se preocupar com a melhora da sociedade. 

A principal diferença de uma empresa social para uma empresa tradicional, é que o empreendedor social utiliza ideias inovadoras, criativas e sustentáveis na resolução de problemas sociais em grande escala. Ele consegue gerar valor comercial, social, sustentável e, ainda, obter lucro.

Nesse tipo de empreendedorismo, o empreendedor procura se identificar com o “problema do cliente” a fim de buscar meios de empreender e, ao mesmo, conciliar  a atividade empresarial às soluções de problemas socioeconômicos que envolvem a sociedade.

Um dos aliados para quem pretende empreender nessa área é o crowdfunding, conhecido como financiamento coletivo. Existem sites que oferecem excelentes oportunidades para financiamento  de projetos sociais e servem para divulgar o empreendimento e suas iniciativas.

Diferenças entre ONG e empreendedorismo social

Algumas pessoas confundem o trabalho das ONGs com o empreendedorismo social. Uma das principais diferenças é que as ONGs têm o propósito de resolver um problema diretamente. Já no empreendedorismo social, o empreendedor precisa identificar um produto ou serviço que seja a solução de um problema do consumidor final. É importante salientar que ambos modelos têm seu lado positivo e dificuldades, mas cada um atende a uma parcela da população em diferentes momentos.

Conciliação entre o empreendedorismo social e o lucro

Quando o empreendedor percebe que a busca pelo lucro não é o foco principal desse tipo de empreendedorismo, ele começa a concentrar sua ações na solução de problemas, envolvendo seus colaboradores, investidores e público-alvo. Pode-se dizer que no empreendedorismo social, as causas sociais e ambientais deixam de ser um problema apenas dos governos, tornando-se o objetivo principal de grande parte das organizações. Com isso, a empresa pode agregar valor social e comercial, se manter sustentável e, ainda, conseguir lucro.

O empreendedorismo social visa superar diversos problemas, como educação, saúde, acesso à tecnologia e, principalmente, desenvolver estratégias que melhorem o desenvolvimento social e a busca pela lucratividade. 

A geração de lucro nesse tipo de empreendimento é por meio do oferecimento de produtos e serviços que atendam às necessidades básicas, criando oportunidades para o desenvolvimento e melhoria de todos. Por exemplo, quando o empreendedor insere grupos de baixa renda na cadeia produtiva, ele se torna responsável por melhorar a condição de vida dessas pessoas. Além do bem social, essa atitude pode gerar uma visão positiva do seu negócio.

Além disso, o MEI pode encontrar nesse modelo de negócio, talentos em áreas que não eram exploradas, o que pode garantir acesso a ideias de melhoria da economia local. A geração de empregos também aumenta nesse locais, possibilitando que as pessoas  tenham condições de ser inseridas no mercado consumidor.

O ecossistema de negócios sociais

Para que os valores social e comercial sejam integrados, é preciso identificar oportunidades e definir objetivos apropriados a fim de criar estratégias a longo prazo que impulsionem o negócio de forma sustentável. Para isso, o empreendedor pode criar parcerias em rede, gerando o ecossistema de negócios sociais.

Com isso, as empresas podem fazer parcerias com os fornecedores, diminuindo o repasse aos consumidores finais. Além de aumentar o impacto social, essa estratégia diminui os custos e aumenta o lucro.

Os empreendimentos que possuem objetivos semelhantes podem utilizar as parcerias sociais para aumentar o capital de investimento humano, trazendo retornos à empresa e aos envolvidos no projeto.

Além disso, é preciso que o empreendedor conheça o público ou a causa que almeja atender. Para isso, é preciso ter empatia e se colocar no lugar de quem vive a situação que você deseja mudar por meio do seu negócio. Ouvir seus potenciais clientes é uma forma de buscar ideias e encontrar o propósito para mover o seu empreendimento.

Portanto, o MEI pode obter diversos benefícios com o empreendedorismo social, uma vez que é algo positivo para a imagem da empresa. Além de ser um grande diferencial competitivo, você pode otimizar as práticas produtivas de acordo com esse novo propósito, atraindo investidores e consumidores cada vez mais conscientes.

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você