[ editar artigo]

MEI, uma entrada segura para o mundo dos negócios

MEI, uma entrada segura para o mundo dos negócios

Sabemos que empreender não é uma tarefa muito fácil, pois exige conhecimento em diversas áreas, constante atualização sobre as questões do mercado e grandes investimentos. Mas, a realidade dos pequenos empreendedores está mudando, uma vez que foi criada a categoria de Microempreendedor Individual. Essa categoria foi criada em 2008, por meio da Lei Complementar nº 128, que facilita a atuação do Microempreendedor Individual, por meio da formalização do trabalho de pessoas que desenvolvem atividades sem amparo da lei. A lei começou a vigorar em 2009, e hoje, a categoria MEI conta com 466 atividades cadastradas.

A formalização para quem tem um negócio informal, pode trazer algumas vantagens, como por exemplo, a melhora na gestão e atendimento, negociação com fornecedores, emissão de nota fiscal e, consequentemente, mais confiança ao cliente.

Com o CNPJ ativo, o MEI tem mais facilidade na hora de abrir uma conta bancária, com linha de crédito, máquina de cartões, etc. O MEI passa a ter benefícios como a aposentadoria por idade ou invalidez, salário-maternidade, auxílio-doença, auxílio-reclusão, entre outros.

Características de um MEI de sucesso

Para se tornar um MEI de sucesso, é preciso possuir algumas características. Antes de tudo, é imprescindível fazer o planejamento completo para o seu negócio. Além da principal atividade, é possível escolher outras 15 atividade para o enquadramento. Esse planejamento pode evitar que a atividade escolhida não esteja registrada no cadastro.

Antes de abrir o seu negócio, também é importante contar com a ajuda de outros profissionais do ramo e da contabilidade. Esses profissionais podem ajudá-lo a planejar e executar as atividades escolhidas. Outra atitude que um MEI de sucesso deve ter é a separação de contas pessoais das contas do negócio, além do fluxo de caixa e balanços financeiros.

MEI e os erros mais cometidos

No início do empreendimento, alguns erros são cometidos pela maioria dos Microempreendedores Individuais, principalmente, pela falta de experiência. Muitos tentam conquistar a perfeição antes de iniciar o negócio. O planejamento é fundamental, mas é preciso agir mesmo que a situação não esteja completamente favorável.

Para isso, é necessário ter autoconhecimento, pois para começar um negócio, é preciso que as ideias sejam mais condizentes com o propósito e não com a necessidade. O que isso quer dizer? Muitas vezes, os Microempreendedores Individuais entram em desespero pela busca por uma fonte de renda e esquecem de estudar se a atividade tem possibilidade de crescimento, se combina com o seu perfil, etc.

Depois de estabelecer o ramo do seu negócio, é de extrema importância começar um plano de negócio. Nele, são definidas metas e ações a serem cumpridas em curto, médio e longo prazo. Uma sugestão para quem está iniciando no mundo dos negócios, é a leitura do livro “O Segredo de Luísa”, do autor Fernando Dolabela.

Após a concretização do seu negócio, é importante pensar na qualidade. Para atrair mais clientes e fidelizar os já existentes, é preciso inovar e estar atento às necessidades deles.

E para que o negócio engrene e você obtenha lucro, a organização financeira deve ser levada a sério. Muitos Microempreendedores Individuais são desorganizados financeiramente, deixando sua conta bancária no “vermelho”. Para isso, é importante manter o fluxo de caixa com todos os valores que entram e saem, além da previsão das futuras contas.

MEI e os tipos de negócio

Bem, para se tornar um MEI, é importante saber que existem algumas regras. Primeiro, por se tratar de um Microempreendedor Individual, essa categoria não permite sócios. Além disso, não é permitido ao MEI possuir outra empresa. Caso seja empregado com carteira assinada (regime CLT), a atividade exercida como MEI deverá ser diferente.

Vale lembrar que o limite de faturamento bruto anual é de R$ 81 mil, correspondendo a R$6750,00 mensais. Já a contribuição do MEI para 2019 é a seguinte: para comércio e indústria, serão cobrados R$49,90 de INSS + R$1,00 de ICMS. Já para serviços, serão cobrados R$49,90 de INSS + R$5,00 de ISS. E para comércio e serviços, serão cobrados R$49,90 de INSS + R$6,00 de ISS e ICMS.

Com o pagamento desses valores, a manutenção da regularidade do negócio é garantida. A contabilidade do MEI é muito simples. Para isso, é necessário guardar todas as notas fiscais e manter o controle fiscal. Até o dia 20 de cada mês, é exigido o envio do Relatório Mensal das receitas Brutas, ou seja, o envio das notas fiscais emitidas e recebidas. A declaração do Imposto de Renda é de forma simplificada, com o valor do faturamento do ano anterior.

Como vimos, a realidade do empreendedorismo no Brasil está mudando. A formalização do negócio é uma forma da lei amparar os Microempreendedores Individuais. E para que o negócio tenha sucesso, é fundamental fazer um plano de negócios completo e seguir as regras impostas à categoria MEI.

 

 

 

.

 

 

Comunidade Sebrae
Ler matéria completa
Indicados para você