[ editar artigo]

Mercado da beleza: Como o MEI pode aproveitar essa tendência?

Mercado da beleza: Como o MEI pode aproveitar essa tendência?

No Brasil, o mercado da beleza é um dos setores que mais atrai Microempreendedores Individuais (MEI). Mesmo com o crescimento econômico lento, o segmento da estética se destaca como um dos mais promissores do país.

De acordo com a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), a indústria de higiene pessoal, perfumaria e cosméticos cresceu 1,5% entre janeiro e julho de 2019.  Ainda de acordo com a pesquisa, quando o consumidor pensa nesse nicho de mercado, geralmente lembra das grandes marcas, que representam a principal fatia do setor. Porém, boa parte da força da indústria é devido à frequente abertura de novos negócios e ao bom trabalho desenvolvido por pequenas empresas, que são a maioria das 2,6 mil empresas de HPPC registradas na Anvisa no início de 2018.

Neste contexto, nota-se um crescimento expressivo do número de empresas que atuam no mercado da beleza no Brasil nos últimos anos, cenário no qual tem destaque o papel do MEI. Entre 2009 e 2016, as atividades do segmento HPPC, que incluem corte e tratamento de cabelos, estética, manicure, pedicure e outros serviços relacionados aos cuidados com a beleza, recebeu cerca de 645 mil novos MEI’s e mais 26 mil microempresas (ME) e empresas de pequeno porte (EPP).

O segmento apresentou resultados importante em relação a geração de empregos, quando comparado ao comportamento global verificado no país. A venda direta garantiu trabalho para 3,99 milhões de pessoas em 2017. Em seguida, vieram os serviços de beleza, representados pelos salões, com 1,33 milhão de pessoas trabalhando na área.  No ranking, as franquias aparecem em terceiro lugar, com 221 mil vagas, a frente da indústria, que garantiu 120,5 mil postos de trabalho.

Já o relatório realizado pela Mintel aponta que 41% dos brasileiros têm interesse em produtos de beleza e cuidados pessoais com ingredientes de origem natural. Entram nessa categoria produtos feitos com óleos vegetais e extratos de plantas, incluindo métodos de produção sustentável.

Todos esses dados mostram que o mercado da beleza está em alta e em qualquer época do ano, uma vez que a procura por uma boa aparência e bem-estar sempre ocorre, o que faz com que esse segmento não seja sazonal.

Salões de beleza

Os salões de beleza são uma ótima oportunidade para o empreendedor. Estima-se que no Brasil existam 500 mil estabelecimentos formalizados. Embora a pesquisa realizada pela Euromonitor aponte que 48% dos salões sejam informais, as formalizações estão aumentando gradativamente. Ainda de acordo com a pesquisa, o setor deve aumentar 4,5% até 2021.

O que fomenta o setor é a alta demanda de clientes. Além do brasileiro ser ligado à beleza, ele é exigente e se preocupa com a qualidade do serviço.

Uma boa dica para quem quer investir no mercado da beleza é a busca por capacitação. As escolas e institutos de ensino voltados à estética e beleza têm recebido pessoas interessadas em aprender como também em se repaginar, uma vez que um bom profissional deve buscar se atualizar sempre, pois o segmento é recheado de novidades e inovações.

E-commerce

Outro setor do ramo da beleza que está em alta são os e-commerces. De acordo com a Nielsen, o faturamento desse setor, em 2018, foi de R$ 53,2 bilhões. Isso representa um crescimento de 12% em relação a 2018. No mesmo período, as vendas por dispositivos móveis cresceram 41% e mais de 58 milhões de consumidores fizeram pelo menos uma compra virtual.

A grande impulsionadora no crescimento das compras no e-commerce foram as categorias de perfumaria, cosméticos e saúde.

Franquias

De acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF), o faturamento do setor em 2018 cresceu 7,1% em relação ao ano anterior. A pesquisa também mostrou uma forte tendência de micro-franquias no segmento da saúde, beleza e bem-estar. 

Por que investir no mercado da beleza?

Há várias razões para o empreendedor investir no mercado da beleza. Uma delas é o aumento da expectativa de vida dos brasileiros. Hoje, há uma necessidade das pessoas se sentirem mais jovens, o que tem contribuído para a expansão do segmento. Outro fator é a crescente participação da mulher no mercado de trabalho. A classe C passou a consumir produtos com maior valor agregado e os homens estão se preocupando mais com a estética. Além desses fatores, são lançados constantemente produtos que atendem cada vez mais às necessidades do mercado. A utilização de tecnologia de ponta e o aumento da produtividade também favorecem os preços praticados pelo segmento.

No mercado da beleza, é muito fácil criar um negócio tradicional. No entanto, se você sair do óbvio e investir em produtos e serviços diferenciados, o sucesso pode ser maior. Também é possível se especializar em nichos específicos pelo fato de o negócio ser desenhado de acordo com o estilo do cliente. Além disso, é imprescindível investir em tecnologia e estar de olho nas tendências do mercado.

Vida de MEI

Comunidade Sebrae
Ler conteúdo completo
Indicados para você